Alfabetização e letramento

0

Valeria Cristina Negrette da nobrega buzatti - opiniao - 08-11-13
O nosso país só terá mais igualdade se tivermos mais riqueza para a população. A riqueza permite com que as pessoas tenham dignidade na vida. Para que um país tenha riqueza necessita de uma população educada.
Em curto prazo, a  escolaridade da população é o primeiro passo, isto leva às pessoas a buscarem as mais variadas habilitações. Entretanto, o que se observa hoje na população é que temos pessoas habilitadas, mas quando levadas a exercer determinadas tarefas, a pessoa não está suficientemente qualificada para realizações das mesmas.  Esta situação mostra que o processo de educação não passa somente por ter realizado um curso médio ou até mesmo um curso superior.
Educação passa por comportamento e é este comportamento que está faltando para que os conhecimentos adquiridos  na escola se transformam em riquezas.
Nosso país nunca privilegiou a educação, e sim um simples faz de conta com a educação. Os dirigentes, muitos sem  conhecimento aprofundado sobre o tema, realizam  testes de novas metodologias pedagógicas, sem  estruturas educacionais e educadores preparados com as novas metodologias. Este fato já foi comprovado no Estado de São Paulo, onde a metodologia adotada, ciclo de formação humana, foi repensada e alterada, para buscar uma melhor qualificação dos alunos.
Hoje com a demanda de profissionais qualificados, é comum ver empresas buscando pessoas em outros países. Por que? Isto porque existem países que cuidam da educação e passam por apuros financeiros e o emprego é escasso.
A nível de política partidária, a falta de educação faz com que a  grande massa da população  fique cega e se contente com as migalhas que caem da mesa de nossos governantes que produzem programas de governos que são esmolas e não incentivam a seus receptores a trabalhar e serem produtivos, mas sim eleitores cativos de pessoas que estão mais preocupadas com o seu do que do seu eleitor. Este fato ocorreu em grandes nações, como exemplo nos EUA, que fizeram isto no meio do século passado com efeitos altamente nocivos a sua população.
O presidente Bill Clinton restituiu a dignidade desta gente dando programas de treinamento para as pessoas poderem voltar ao emprego pleno e capturar a sua dignidade de ser humano. Ele também criou creches e programas de apoio a estas famílias que em entrevistas a jornais estas pessoas declararam que: “Se eu soubesse dos benefícios como: físicos, mentais e moral de trabalhar e ganhar honestamente meu sustento, jamais aceitaria a esmola dada pelo governo”.
O programa escolar de “passar de ano sem aprender e ter mérito”, também foi desenvolvido e aplicado nos EUA nos anos 70, o que fez com que os americanos perdessem competitividade nas  décadas seguintes. Por esta razão. foi abandonado nos anos 90 por Bill Clinton,  governo este que restabeleceu a meritocracia nas escolas americanas.
Exemplos como estes são importantes para que possamos ser uma nação rica, não necessitando reinventar a roda, devemos conhecer e ver na história o que podemos usar para que possamos ser uma nação educada.

(*) Valéria Cristina Negrette da Nóbrega Buzatti, professora da escola municipal CPAC-São José.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here