Papo Político

0

Adonias Fernandes - 20-06-111- SENHORAS E SENHORES,
na semana que passou os peemedebistas fizeram uma reunião em Rondonópolis com a presença do cacique da sigla, o deputado federal Carlos Bezerra, que avisou que poderá concorrer à majoritária pelo partido nas eleições de 2014. Baseado em uma aliança com o PT, Bezerra se colocou como potencial concorrente, tanto para o Governo do Estado como ao Senado. E já tem o apoio dos demais partidários, que o consideram um dos nomes, senão o mais forte da sigla, para concorrer à majoritária. Se a ideia de Bezerra se concretizar, fica a vaga para deputado federal para Rondonópolis e o vereador Adonias Fernandes já seria um dos principais para concorrer à essa vaga, com o apoio do Movimento Negro, pelo menos é isto que dizem as fontes. Adonias também não esconde que se Bezerra sair pela majoritária, é pré-candidato a deputado federal e já se colocou à disposição do partido. Adonias foi o único de Rondonópolis, até o momento, a se posicionar claramente sobre a possibilidade de concorrer à Câmara dos Deputados. Porém, a situação ainda está indefinida, pois o atual governador Silval Barbosa (PMDB), ainda não definiu sobre uma possível candidatura ao Senado. Segundo ele, tomará uma decisão já no próximo mês.
O PT TAMBÉM
fez reunião e vem tratando das questões eleitorais de 2014. O nome do vice-presidente da Câmara Municipal, vereador Mauro Campos, para disputar uma vaga na Assembleia Legislativa nas próximas eleições vem ganhando força a cada dia, e já conta com o apoio de grande parte dos petistas de Rondonópolis. Ele, no entanto, continua bem direcionado em seu trabalho como vereador e tem feito mais críticas à administração municipal do que o habitual, começou a falar um pouco mais, apesar de manter certa discrição. Para o Estado, o PT não quer abrir mão de nome para concorrer ao Governo, e aposta, por enquanto, todas as fichas no juiz Julier Sebastião da Silva, mas já tem na manga nomes como Lúdio Cabral, Ságua Moraes e Carlos Abcalil, nesta ordem. Assim, pode até ser que Bezerra dispute o Senado.
JÁ O GRUPO
que pretende apoiar a candidatura do senador Pedro Taques (PDT) vem crescendo e pelo ocorrido na última semana, praticamente, já pode contar com o apoio do DEM, só falta equacionar detalhes sobre uma possível candidatura a reeleição de Jayme Campos ao Senado. Além do DEM, Mauro Mendes, presidente estadual do PSB, tem dito que estará com Taques em 2014 e o Movimento Mato Grosso Muito Mais ainda não deu sinais claros de que pode se romper. Somando-se a isso, o PSDB também vem demonstrando que estará com Taques nas eleições. No entanto, ainda é hora de ficar atento, porque ainda há que se esperar definições do PR de Blairo Maggi e do PP, que agora tem Eraí Maggi, colocado na sigla pensadamente pelo primo Blairo, para alguma estratégia no futuro.

2 – AQUI NA TERRINHA,
a situação na Prefeitura não mudou muito da semana anterior,  a não ser o fato de que Eduardo Duarte – como era cogitado – acabou indo para a Secretaria Municipal de Governo, deixando vaga a pasta de Promoção e Ação Social, que o prefeito Percival Muniz (PPS) ofereceu ao cacique do PMDB, Carlos Bezerra, que chegou a comentar o caso com a presidente da comissão provisória municipal da sigla, a Paula Costa, que por sua vez não pretende assumir a pasta. Assim, a Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito e de Infraestrutura continuam comandadas por Argemiro Ferreira. A de Promoção e Ação Social ainda não tem um postulante – falam do vereador Cláudio da Farmácia (PMDB), mas esta colunista não crê na saída de alguém da bancada do PMDB para que Batista da Coder, hoje no (SDD) assuma uma cadeira na Câmara. Resumindo, uma “leve” indefinição administrativa ainda paira sobre o Palácio da Cidadania. É importante ficar atento em períodos como estes, de mudanças no secretariado que começam em agosto e não terminam até final de outubro.

3 – CONTUDO,
da Câmara Municipal não há muito a que se falar, a não ser de que há um consenso entre os vereadores que que será necessário realizar duas sessões ordinárias por semana, porque Rondonópolis já não suporta apenas uma sessão e nem mesmo os próprios vereadores, que em várias ocasiões terminam as sessões às 10 horas da noite. A mudança está sendo discutida para ocorrer para o ano de 2014, quando o duodécimo passa de R$12,9 milhões para R$ 15 milhões. Com mais dinheiro em caixa, maior a possibilidade da realização das duas sessões. Veremos!

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here