Papo Político

1
Dr. Felipe: “a desistência dele em disputar uma vaga na Câmara de Vereadores causou surpresa em razão de ser um candidato viável”

1 – Eis senhoras e senhores,
que não foi surpresa para a coluna e para os nossos leitores a exoneração do secretário de Saúde Valdecir Feltrin, concretizada na última segunda-feira pelo prefeito Ananias Filho (PR). A coluna sabia que Feltrin estava pressionado no cargo e a qualquer momento seria chamado para uma conversa com o prefeito e foi o que ocorreu.
Na própria segunda, Feltrin disse à coluna que o motivo da exoneração foi em razão do que ele mesmo classificou como falta de engajamento político. Pelo que a coluna apurou, o ex-secretário realmente não estava à vontade dentro da gestão de Ananias e ficou ainda mais desconfortável a partir do momento que Percival Muniz (PPS), velho companheiro de batalhas, colocou a candidatura na rua. Ligadíssimo a Muniz, Feltrin, com toda a certeza, passou a viver uma saia justíssima na secretaria.
O resumo dessa ópera é que na quarta-feira Feltrin já estava presente na campanha de Percival. Ele esteve em um ato do deputado estadual no Jardim Atlântico e, na quinta-feira, Feltrin participou da reunião do plano de governo do candidato do PPS.
Uma fonte ligada a Percival foi mais longe e garantiu que Feltrin somente não terá espaço na gestão de Muniz, caso ele seja eleito, se não quiser. Resta saber se o ex-secretário vai continuar ou não no Poder Público, afinal depois de ter passado pela secretaria de Saúde e sofrido horrores com a falta de estrutura do setor e ser cobrado em diversos momentos publicamente, ele mesmo disse à coluna, há alguns meses, que poderia se aposentar a partir de 2013.

2 – O próprio Percival
Muniz disse à coluna, na mesma segunda-feira da demissão de Feltrin, que em casos como o dele [Feltrin], que era servidor que ocupava um cargo de confiança e não de carreira, não vê como problema esse tipo de exoneração. “Cargo de confiança cabe ao prefeito fazer ou não, se perder a confiança o prefeito tem o direito de demitir, o que eu não concordo é perseguir servidores de carreira e obrigá-los a tomar partido, isso é anti-democrático, isso para mim é ato de desespero”, cutucou Percival.
O prefeito Ananias Filho deixou claro à coluna que a saída de Feltrin foi por resultados. Ele disse que o secretário não estaria correspondendo o esperado e usou uma analogia do futebol para explicar. “E como time de futebol, se não tem resultado a gente demite o técnico”, disse.
No entanto, se foi por falta de engajamento ou não, o fato é que com a saída de Feltrin, a Secretaria de Saúde passará por um outro momento.
Mesmo continuando nas mãos do PMDB, a gestão de Mariuza Valentin Chaves deve trazer de volta aos holofotes a ex-vereadora Mariuva, irmã da nova secretária, que passará a ter mais poderes na pasta.
Mariuva, que chegou a ficar isolada em uma parte da gestão de Feltrin e com pouco poder de decisão, voltará a dar as cartas na Saúde e com isso o seu grupo deve crescer dentro da mais movimentada secretaria do município.
Pois, sabemos que a Saúde é uma das secretarias onde mais se faz política dentro da estrutura de poder de Rondonópolis, basta ver que nas eleições de 2008 saíram de lá uma vereadora e dois suplentes que foram muito bem votados.

3 – Outro fato que
chamou a atenção foi a renúncia do candidato José Felipe Horta Júnior, o Dr. Felipe. A desistência dele em disputar uma vaga na Câmara de Vereadores causou surpresa em razão de ser um candidato viável e que tinha plenas chances de se eleger. Porém, há de se reconhecer, no grupo de Ananias, em razão da proximidade dele com Percival, o médico poderia ficar mal visto.
Na realidade, o grande articulador da renúncia dele foi o candidato a vereador do PPS, Fábio Cardozo, que ganhou o apoio do médico e trouxe ele de uma vez para o grupo de Percival.
A saída do Dr. Felipe ainda causou mal-estar dentro do PP e abriu uma verdadeira onda de boatos que outros candidatos da sigla, comandada em Mato Grosso por Pedro Henry, poderão seguir o mesmo caminho do médico, renunciar e apoiar Percival.
O vereador Cido Silva, que é um dos líderes do partido, vai precisar, nestes dias, conversar muito com os seus companheiros e resolver todas as pendências internas dentro do partido. O PP é um partido que tem ainda a eleição de vereadores bastante viável neste pleito, pela qualidade da chapa, mas se continuar a perder lideranças poderá sofrer para garantir um número maior de eleitos.

4 – Por falar em
eleição para vereador, é preciso destacar a coragem de Reginaldo dos Santos, candidato do PPS. Pois, em tempos de dificuldades de mobilizar grande número de pessoas, ele fez o lançamento da sua campanha na rua. Algo arriscado para um candidato, principalmente que está na disputa à reeleição. Tão arriscado que medalhões da política, como Wellington Fagundes, por exemplo, não faz. O deputado costuma  lançar as suas candidaturas no quintal da casa do seu pai, o saudoso João Baiano.
Aliás, o lançamento de candidaturas a vereador virou uma grande sacada para os candidatos a prefeito, pois eles acabam aproveitando o espaço aberto para o vereador para pedir votos e em muitos casos para um público diferente e mais qualificado. Percival Muniz, por exemplo, na quinta-feira, além do ato de Reginaldo, esteve presente no lançamento do candidato do PPS, Beto Cabeleireiro.
Ananias Filho não tem feito diferente. Na sexta-feira, ele embarcou em uma verdadeira maratona de lançamentos e esteve presente nos atos da professora Paula (PMDB), Miltão (PMDB) e Claudio da Farmácia (PMDB).
Talvez, um dos segredos das próximas disputas seja exatamente esse de investir em campanha dos vereadores.

5 – E preciso destacar,
na campanha de Ananias, o engajamento do deputado estadual Jota Barreto. Ele está presente em praticamente todos os eventos do candidato e tem pedido votos de forma entusiasmada para Ananias. Barreto, inclusive, tem feito discursos fortes contra Percival Muniz,  adversário do atual prefeito.
Nesta semana, o deputado federal Carlos Bezerra também fez questão de estar na cidade para pedir votos para Ananias e Fulô na Vila Operária. Bezerra reconheceu que Ananias ainda está atrás nas pesquisas quantitativas, mas não perdeu o otimismo no candidato do PR. “Para mim o que vale é a qualitativa e não a quantitativa”, explicou Bezerra sobre o fato das pesquisas indicarem Ananias atrás de Percival. Para reverter a posição na campanha, Bezerra aposta no horário eleitoral na televisão e no rádio que começa no dia 21.
Aliás, essa semana poderemos avaliar, de forma mais precisa, o rendimento dos candidatos na televisão, quando a campanha sai das ruas e vai para a TV e o rádio.

6 – A coluna acompanhou
a entrevista dos três candidatos a prefeito na TV Rondon, na última semana. Na avaliação da coluna, o candidato Juca Lemos, do PT, foi o que melhor soube aproveitar o espaço. O petista, além de falar das propostas, soube cutucar os adversários na medida certa. Para Percival, ele disse que o PPS, DEM e PSDB, são partidos que não tem apoio do PT e para Ananias o recado foi em razão da aproximação de Bezerra e Wellington na sua campanha.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here