Algodão atinge maior preço da história

2
A arroba do algodão em pluma atinge a expressiva marca de R$ 83,00 em Campo Verde e R$ 84,00 em Rondonópolis
A arroba do algodão em pluma atinge a expressiva marca de R$ 83,00 em Campo Verde e R$ 84,00 em Rondonópolis

A cotonicultura vive uma excelente fase no mundo. Reflexo desse cenário pode ser observado nos preços do algodão. Em uma trajetória ascendente, o preço do algodão atinge uma marca histórica. Na bolsa de Nova Iorque, trata-se do maior preço registrado em 140 anos, segundo especialistas. Em Mato Grosso, não há registro de preços no atual patamar. Para se ter uma ideia, as indicações em Mato Grosso chegaram a R$ 2,50 por libra-peso. Já a arroba do algodão em pluma atinge a expressiva marca de R$ 83,00 em Campo Verde e R$ 84,00 em Rondonópolis. Essa alta está fazendo produtores privilegiar o algodão em detrimento da soja.
A Associação dos Produtores de Algodão de Mato Grosso (Ampa) estima que a nova safra de algodão 2010/11, que começa a ser plantada a partir de 05 de dezembro, deve perfazer em torno de 620 mil hectares de área plantada, representando um aumento de 35% sobre a safra anterior. O presidente da Ampa, Gilson Ferrúcio Pinesso, explica que a significativa alta no preço do algodão está atrelada à grande demanda por fibras naturais no mundo, com aumento no consumo. Além disso, enfatiza que houve quebra de safra no Brasil e no Paquistão na safra passada, assim como redução de plantio na China. Outro fator a ser considerado é que, por muito tempo, devido a preços pouco atrativos, houve estagnação na produção de algodão, a exemplo de Mato Grosso. “Também foram consumidos os estoques reguladores. Hoje, praticamente, não existe mais esses estoques”, acrescenta.
Diante desse contexto, a perspectiva é de que os preços altistas não voltem tão cedo aos patamares anteriores. Outro fator positivo, segundo Gilson Pinesso, é que houve uma estabilização no custo de produção nesta safra em relação à safra passada, permanecendo na faixa média de US$ 1.900,00 a US$ 2.000,00 por hectare em Mato Grosso. O resultado desse momento altamente positivo é que a cultura do algodão está sendo privilegiada pelos produtores. O presidente da Ampa observa que, com o atraso no começo das chuvas nesta temporada, muitos produtores vão tirar área de soja e destiná-la à safra de algodão. Isto é, o plantio do algodão que antes ia ser destinado em maior parte à safrinha vai virar safra principal. Ele explica que o plantio na época ideal vai fazer ainda com que haja produtividades maiores do algodão.
Ademais, a Ampa repassa que agora é torcer para que o clima colabore com o desenvolvimento da cultura. Caso tudo ocorra bem na lavoura, Gilson Pinesso calcula que será possível produzir entre 265/270 arrobas de algodão em pluma por hectare em Mato Grosso, em média, gerando uma renda maior e sobrando mais dinheiro em caixa, possibilitando a capitalização do produtor. Tendo em vista que há muito tempo o cotonicultor não investe em máquinas, acredita que essa capitalização será possível investir na aquisição desses equipamentos, principalmente em máquinas de colher e beneficiamento.
DISPONIBILIDADE – Por um lado, Gilson Pinesso analisa que, no momento, há muito pouco algodão da safra 2009/10, recém-colhida, disponível para venda. Devido a uma necessidade de crédito, os produtores de Mato Grosso sempre destinam uma parte da produção para venda antecipada. Por outro lado, aproveitando a boa fase, cerca de 30% da nova safra (2010/11) de algodão já foi comercializada, de forma antecipada no Estado.

1 COMENTÁRIO

  1. Por um lado é bom que o produtor obtenha preço melhor pelo seu produto pois anda descapitalizado, mas por outro vai encarecer os produzidos com algodão, pois o consumidor é quem paga a conta. Esperamos que em meio a tudo isso haja um meio termo, de modo a beneficiar todos os envolvidos, ou seja produtor, industrial e consumidor.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here