Após a semana mais turbulenta do ano, com a demissão do técnico Antônio Carlos e do artilheiro da equipe, Robert, os jogadores do Palmeiras prometem começar vida a partir do jogo deste sábado contra o Grêmio. E a ideia do técnico interino Jorge Parraga é colocar o time no ataque para tentar reconquistar a torcida com gols e bom futebol.
Ele é adepto do lema “vencer e convencer” e diz que se importa muito com a opinião que as pessoas a respeito dos times que dirige. Por isso, quer causar uma boa impressão logo de cara. “É o momento mais importante da minha carreira.”
Ele foi puxado do Palmeiras B para substituir Antônio Carlos enquanto a diretoria não contrata um treinador mais experiente, e tem dado mostras de ousadia. O time, por exemplo, terá mudanças em relação ao que vinha jogando. As principais devem ser Gabriel Silva em lugar de Armero na lateral-esquerda e Souza no meio de campo na vaga de Pierre, que terá de cumprir suspensão.
Parraga ganhou um reforço inesperado com a decisão do STJD de conceder efeito suspensivo ao zagueiro Danilo, que havia sido punido com 11 jogos de gancho por causa dos incidentes ocorridos no jogo contra o Atlético-PR pela Copa do Brasil. Com isso, ele voltará a formar a zaga titular com Léo.
No treino desta sexta, que durou 2h34, Parraga fez várias mudanças na escalação. Os únicos que ficaram o tempo todo entre os titulares foram Marcos, Vitor, Léo e Danilo. Também houve um treinamento de pênaltis, e o rendimento dos jogadores foi preocupante: em 24 cobranças, saíram apenas 12 gols.
REENCONTRO – O jogo será especial para o zagueiro Léo, porque foi no Grêmio que ele apareceu para o futebol. O sucesso foi tão grande que ano passado ele foi até convocado para a seleção brasileira. Por tudo isso, ele admite que sentirá um frio na barriga ao entrar em campo. “Tenho uma motivação extra nesse jogo. Respeito muito o Grêmio. Cheguei aos 12 anos ao clube e tive muitas alegrias por lá.”Apesar da semana ter sido tensa no clube, Léo garante que está tranquilo para o jogo. E diz que não se sente responsável pela discussão entre Antônio Carlos e Robert que culminou na demissão dos dois – o atacante reclamou que o treinador liberou Márcio Araújo, Pierre e Léo para voltarem do Rio antes do restante do elenco por causa de um culto religioso. “Acho que não tem nada a ver. O que aconteceu é que todos nós tivemos permissão e fomos liberados, mas alguns jogadores passaram dos limites e foram punidos.”DE OLHO EM ARMERO – Klaus Allofs, vice-campeão mundial com a Alemanha na Copa de 86 e diretor do Werder Bremen, estará neste sábado no Palestra Itália para ver o lateral-esquerdo Armero. Após o jogo, o colombiano vai se apresentar para a seleção, que fará amistosos contra a África do Sul, dia 27, e Nigéria, dia 30.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui