Papo Político

3

no1 – O PASSADO
de má administração e grandes falhas no comando da Prefeitura de Cuiabá está prejudicando, aos poucos, a candidatura ao Governo do Estado do ex-prefeito Wilson Santos (PSDB), o qual, evidentemente, vai ter dificuldades de esconder durante a sua campanha que não conseguiu conduzir uma gestão realizadora durante um mandato e meio.
O Governo do Estado sempre respaldou e ofereceu sustentação à administração cuiabana que, infelizmente, tinha à frente do comando um líder com dificuldades de solucionar as questões mais simples de uma gestão pública municipal.

2 – SILVAL BARBOSA
está surpreendendo muita gente com seu empenho à frente do Estado e, gradativamente, está trabalhando por todo o Estado, sendo que ontem o governador peemedebista iniciou obras de pavimentação asfáltica em mais de 50 bairros em Cuiabá. Barbosa definiu a efetivação deste projeto como sendo o preenchimento de lacunas deixadas por Wilson Santos. Quando, na realidade, o que faltou para o tucano foi criação de um programa de asfaltamento, principalmente, nas regiões que apresentavam grandes buracos e isolavam algumas ruas. Santos, anunciou dias antes de renunciar ao cargo para candidatura ao Governo do Estado, um investimento de R$ 36 milhões para recapeamento e tapa-buracos, mas que segundo os moradores nunca saiu do papel.
ASSIM,
com a não realização de Wilson Santos e sua ineficiência para atender a população cuiabana, fica a oportunidade de Barbosa alavancar ainda mais sua candidatura ao governo, conquistando grande parte dos votos de um dos maiores colégios eleitorais e ainda enaltecer os erros do adversário na disputa.

3 – UMA PESQUISA
realizada pelo Instituto Mark, em 52 municípios de Mato Grosso, nos dias 16 e 21 de abril, para consultar os nomes mais cotados para a Câmara Federal, surpreendeu com seu resultado na pesquisa espontânea e estimulada, as quais apresentaram empates técnicos entre Thelma de Oliveira (PSDB) e o deputado federal Wellington Fagundes (PR), o qual está muito mais em evidência no Estado, principalmente, na capital cuiabana e em Rondonópolis, devido aos seus projetos vinculados a infraestrutura e aspectos sociais e a sua popularidade conquistada consequente ao trabalho durante cinco mandatos.

4 – O PARTIDO
dos Trabalhadores (PT) através da chapa pura, tem o direito de lançar 36 candidatos à Assembleia Legislativa, de acordo com a legislação eleitoral, que determina que cada legenda poderá registrar candidatos para a Câmara dos Deputados, Assembleias Legislativas e Câmaras Municipais até 150% do número de lugares a preencher. No entanto, é muito mais vantajoso, considerando as outras vinculações eleitorais, como o apoio ao governador Silval Barbosa em sua candidatura a reeleição, que está recebendo o respaldo do PR, sendo que a legenda republicana, já avisou que somente consolida o apoio, se o PMDB, viabilizar a coligação para as proporcionais, o que poderá acontecer para não haver contrariedade entre partidos e filiados. E se a influência nacional do PT não atingir o partido no Estado, pois irá receber o apoio do PSB para a postulação da ex-ministra Dilma Rousseff à Presidência da República e a sigla petista regional vir apoiar a postulação do empresário Mauro Mendes ao comando do Estado.
Se o PT decidir pelo caminho mais viável, que é uma aliança nas proporcionais com estes dois partidos poderá respaldar as candidaturas do vereador Hélio Pichionni ou de Mohamed Zaher que fazem parte da região do município de Rondonópolis, o que pode travar uma briga com presidente local do PT, Aparecido Soares de Lima, o qual ainda nem se manifestou para este tipo de candidatura, mas não esconde de ninguém que sua vontade é ocupar uma vaga na Assembleia Legislativa. Mas, considerando as condições eleitorais e ainda a popularidade destes três políticos, Cidão não leva vantagem nenhuma.
Os outros nomes republicanos que são cotados para a região sul do Estado são dos deputados Jota Barreto, Sebastião Machado Rezende, da empresária Cláudia Fagotti, presidente do Sindicato das Indústrias do Vestuário (Sinvest).
Mas, quem deve decidir e dizer quem é o candidato com as melhores condições de representar Rondonópolis na Assembleia Legislativa a partir deste ano é a população.

1 COMENTÁRIO

  1. O PT tem que se fixar nos cargos de Senador E DEPUTADO Federal e abrir mão dos governos estaduais para que A DILMA possa governar com tranquilidade

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here