A Diocese de Rondonópolis tem uma longa experiência de planejamento pastoral que remonta à década de 60. São mais de 40 anos de assembléias, planejamento pastoral e planos com a marca da participação dos fiéis na tomada de decisões dos caminhos pastorais por onde a Igreja no Sul de Mato Grosso deve trilhar.

Motivados por esta caminhada pastoral, neste fim de semana, bispo, padres, religiosos e religiosas, coordenadores de pastorais, movimentos, organismos, associações e serviços se encontrarão para mais uma assembléia, a 38ª. Num clima de oração, unidade, comunhão e participação, os participantes irão refletir e votar o 14º Plano Diocesano de Pastoral. Este plano iluminará as ações evangelizadoras, promoverá a comunhão diocesana, apontará horizontes e caminhos pelos quais a comunidade, as pastorais, os movimentos, as lideranças, enfim os discípulos missionários devem percorrer para realizar a missão da Igreja entre nós.

Para chegar até a votação deste plano, foi feito um longo percurso. Este XVº Plano de Pastoral está sendo construído a partir da Palavra de Deus, da prática das assembléias, do nosso jeito de ser Igreja, dos planos anteriores, da avaliação do XIII Plano feita na 36ª Assembléia de Pastoral em dezembro de 2008, da 37ª assembléia em julho de 2008, das assembléias setoriais, dos desafios da realidade atual, da inspiração do documento de Aparecida e das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil (2007-2011).

Um Plano de Pastoral tem como finalidade olhar para as lições e conquistas do passado, ler e interpretar o momento presente e apontar linhas de ações para o futuro. Assim, o XIVº Plano Diocesano de Pastoral quer olhar para o futuro e a partir do hoje, gestar um modelo de Igreja que favoreça uma experiência de encontro pessoal e comunitário com Cristo, que cultive a experiência de pertencer à comunidade, que fortaleça a missão e o testemunho ético, que se comprometa com a justiça, que promova as vocações e ministérios, que forme as famílias, que ajude a juventude e responda aos desafios culturais e religiosos que a cada dia interpelam a nossa missão evangelizadora.

Para que isso se concretize, o XIVº Plano Diocesano de Pastoral propõe três campos de atuação para nossa pastoral:

1. Levar as pessoas a um encontro pessoal e comunitário com Cristo Vivo para promover a dignidade da pessoa como filho e filha de Deus nas diversas situações da vida, na família, na comunidade, no trabalho, na moradia, na pobreza, nas ameaças contra a vida e na sociedade.

2. A partir do encontro pessoal com Cristo cultivar a prática da pertença à Igreja comunidade de irmãos e irmãs para renovar a comunidade, superar a fragmentação da vida e ajudar na busca de ralações mais humanas criando comunidades fraternas, ministeriais, dialogantes, servidoras e missionárias.

3. Fortalecer a missão evangelizadora da Igreja e seu compromisso ético para construir uma sociedade solidária, superar o escândalo da exclusão, da dependência, do analfabetismo, da doença através do compromisso social e político e atenção aos novos espaços evangelizadores como o mundo da cultura, da cidade, da educação, das universidades, dos meios de comunicação social e do compromisso com as questões humanitárias.

Entendemos que estamos numa região missionária, que necessita de uma evangelização de base para responder aos desafios dos evangelizadores. Como discípulos missionários queremos contribuir neste momento da história para a construção do Reino e assim realizar a missão que Jesus nos deixou.

A missão da Igreja é evangelizar. É o chamado que ela recebeu de Jesus e é a fonte de sua alegria. Evangelizar exige que a Igreja seja discípula do Mestre, ponha em prática o Evangelho, assuma o próprio agir de Jesus e esteja atenta aos apelos do mundo, indo ao encontro dos afastados, necessitados dos que nunca foram evangelizados.

O Documento de Aparecida ensina que: “O conteúdo central da missão é levar vida plena a todos e sermos instrumentos do Espírito Santo de Deus na Igreja, para que Jesus Cristo seja encontrado, seguido, amado, adorado, anunciado e comunicado a todos, não obstante todas as dificuldades e resistências (DA 14). Que o Senhor da Vida abençoe nosso XIVº Plano Diocesano de Pastoral

(*) Pe Giovane Pereira de Melo, coordenação Diocesana de Pastoral

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here