A Independência “depende” de nós, povo brasileiro

2

No dia 7 de setembro o Brasil completou 186 anos de sua independência política. É uma data importante a ser comemorada, pois nos vem à mente o brado eloqüente feito por Dom Pedro I às margens do Riacho Ipiranga: “Independência ou Morte”.

Já se passaram quase dois séculos deste fato histórico e muitas coisas modificaram, vamos analisar um pouco as inúmeras mudanças ocorridas no decorrer da história brasileira.

O Brasil, atualmente, é considerado uma das economias mais prósperas e potentes do mundo, com um PIB anual de 1,4 trilhão de dólares, muito maior do que o de muitas nações desenvolvidas, sendo observado pelos organismos econômicos mundiais como uma das quinze maiores economias do planeta.

Seu parque industrial é diversificado e vem num crescente assustador nos últimos anos, com uma produção cada vez maior e em grande escala. No setor primário, o Brasil vem despontando como um dos maiores produtores agropecuários do mundo, com destaques para a grande produção de grãos e na pecuária bovina. No setor de exportações e importações, o nosso país vem tendo seguidos superavits em sua balança comercial, característica de um país que vem se desenvolvendo e crescendo. Além do mais, é um gigante deitado em berço esplêndido, sendo o quinto maior país em tamanho e em densidade populacional no mundo.

Outra grande característica brasileira é apresentada na questão natural, sendo conhecido pelos seus biomas fantásticos, como a majestosa Amazônia, a Mata Atlântica, o espetacular Pantanal Mato-grossense, as Araucárias, além de outros ecossistemas protegidos, principalmente aqueles ligados às lindas chapadas espalhadas pelos planaltos do Brasil a fora. Possui a maior riqueza fluvial do mundo, com as duas maiores bacias hidrográficas do planeta: a Amazônica e a Platina. Tudo isto e muito mais devem ser comemorados com muito orgulho e fervor neste sete de setembro.

Por outro lado, apesar de todas estas suas características, o nosso Brasil ainda não é considerado um país desenvolvido. Os organismos mundiais, principalmente a ONU e o BIRD (Banco Mundial) classificam o Brasil como país em desenvolvimento. O parâmetro necessário para que um país seja classificado como desenvolvido se baseia num equilíbrio econômico, mas principalmente no aspecto social, ou seja, que a população tenha boa qualidade de vida e elevados índices de desenvolvimento humano.

O Brasil, como já frisei, possui uma das grandes economias do mundo, porém quando se observa suas questões sociais, ligados a qualidade de vida de teu povo, nosso país despenca e muito no aspecto desenvolvimento. São milhões de desempregados, crianças fora da escola, péssima distribuição de renda, muita pobreza, milhares de indigentes pelas ruas das quase seis mil cidades do nosso país, etc. Além do mais, outro fator colabora e muito para o nosso não desenvolvimento. É a corrupção. O Brasil está ranqueado como um dos países campeões mundiais em corrupção e esta acontece tanto no campo político como no público e privado.

A corrupção é uma séria conseqüência do déficit educacional existente em nossa nação e também por pura safadeza daqueles que deveriam gerir com integridade os recursos públicos. Porém, usam de falcatruas para se beneficiarem do Erário, desviando e mandando para paraísos fiscais o dinheiro que deveria ser investido em melhorias à sociedade.

Apesar de tudo, esperamos e desejamos ao povo brasileiro uma verdadeira independência, que consiga vencer a todas as dificuldades estruturais e sociais em que esta nação possa vir a passar. Que a inclusão social possa ser o nome da vez e que nosso país possa seguir seu caminho rumo a uma autonomia econômica integral, mas principalmente social. Que os quase duzentos milhões de brasileiros consigam também usufruir de sua independência intelectual, econômica e social. Viva o sete de setembro! Viva a Pátria! Viva o povo brasileiro!

(*) Reuber Teles Medeiros é professor, geógrafo, servidor público em Rondonópolis

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here