Prorrogação de dívidas rurais e operacionalização do FRA

0

A prorrogação de todas as dívidas rurais para o dia 31 de março de 2008 e o adiamento do pagamento dos débitos de investimento em máquinas, que venceram no último dia 17 de dezembro, para 15 de fevereiro do ano que vem, propostas pelo governo federal, é mais uma etapa favorável no difícil processo de renegociação do passivo do setor agropecuário brasileiro, na opinião do presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), Rui Prado.

“Acredito que em relação ao endividamento dos produtores rurais a prorrogação é favorável. Mas, foi preciso uma articulação de peso das entidades para chegar a esta nova definição. O governo prometeu ainda que vai anunciar um pacote de medidas para solucionar o problema até o final de março do ano que vem”, disse Rui Prado que participou da maratona de reuniões, em Brasília.

Lideranças do setor, como o deputado federal Homero Pereira (presidente licenciado da Famato), o suplente de deputado Neri Geller e os presidentes dos sindicatos rurais mato-grossenses (Ricardo Tomczyk – Rondonópolis; Antônio Galvan – Sinop; Rogério Romanini – Barra do Bugres; Marusan Ferreira – Tapurah, Nelson Piccoli – Sorriso e de Campo Verde) também fizeram parte do grupo que esteve em reunião no Mapa, na Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e na Comissão de Agricultura da Câmara Federal.

Em 15 de fevereiro os produtores rurais poderão pagar 15% da parcela e prorroga 70% com mais um bônus de 15%. A prorrogação também vale para as dívidas da pecuária. Outro ponto considerado positivo, já que o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) geralmente, não costuna considera as dificuldades financeiras enfrentadas pelos pecuaristas.

De acordo com o ministro Reinhold Stephanes a dívida agrícola total chega aos R$ 120 bilhões. O montante que está em discussão para ser renegociado é de R$ 40 bilhões e as dívidas que venceriam este mês somam R$ 6 bilhões. “Que já não são mais seis porque grande parte já está pago”, disse Stephanes.

FRA – O Fundo de Recebíveis do Agronegócio (FRA) já está sendo operacionalizado pelo Banco do Brasil. O produtor tem que procurar as agências para confirmar se o nome dele está na lista e saber qual o limite que ele tem direito. “Depois dos ajustes que foram feitos – o penhor diminuiu – ficou mais fácil obter o financiamento”, disse o presidente da Famato. A recomendação é para que os produtores procurem o BB o mais rápido possível.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here