Papo Político – 16/12/2007

1

1- COMO NÃO PODERIA DEIXAR DE SER, conforme notícia de ontem, Sábado, do A TRIBUNA, o deputado federal Carlos Bezerra, presidente regional do PMDB de Mato Grosso, confirmou o nome do deputado estadual Zé Carlos do Pátio como candidato a prefeito nas eleições municipais do ano que vem e disse ainda que espera contar com o apoio do PSDB, sendo, ao entender da Coluna, que os tucanos podem aceitar o convite, podendo talvez propor o nome de Rogério Salles para candidato a vice-prefeito.

No entanto, a Coluna conversou ontem com o ex-governador e ex-prefeito Rogério Salles e este negou essa possibilidade de ser vice e disse que vai partir realmente para a disputa, dizendo ainda que esse desejo do Carlos Bezerra quanto a Zé Carlos não passa de um sonho. Será que referente ao PSDB e, mormente Rogério Salles, vai valer a frase proverbial do ex-governador mineiro Magalhães Pinto, de saudosa memória, de que “política é como uma nuvem, a mudar constantemente de lugar”? A conferir, evidentemente.

2- SOBRE a notícia do A TRIBUNA de sexta-feira, que dá conta que o Tribunal Regional Eleitoral rejeitou a prestação de contas do PMDB regional, presidido pelo deputado federal Carlos Gomes Bezerra, e referentes ao uso tido como incorreto das verbas do fundo partidário, propiciado pela referida entidade eleitoral, relativas aos anos de 2.003 e 2.004.

Segundo o juiz relator do TRE (Tribunal Regional Eleitoral) João Celestino Corrêa da Costa Neto, sobre as notas fiscais que teriam sido emitidas em nome da Gráfica Santo Antônio, “mostra um fato muito sério, pois de acordo com a diligência realizada pela auditoria da corte eleitoral,  apurou-se que muito embora haja o registro da empresa, bem como seu endereço em Santo Antônio do Leverger, um ofício assinado pelo representante maior do município, dá conta que ela nunca funcionou no local indicado, não se sabendo ademais, se a referida empresa realmente existe, levando a crer que se trata de um estabelecimento fantasma”.

O DEPUTADO CARLOS BEZERRA disse que foi pego de surpresa e deverá analisar a questão, junto com o diretório estadual do partido, após o que deverão ser feitas as explicações pertinentes, pois a repercussão na cidade e mormente junto aos filiados, está sendo grande e possivelmente altamente negativa.

Mas como os partidos tem baixa influência, como sempre se tem afirmado, é de se avaliar que pouca ou quase nenhuma influência esse fato deverá ter no desempenho eleitoral dos postulantes a postos eletivos.

Assim, é de se avaliar que Zé Carlos do Pátio, bem como os demais candidatos a prefeitos e vereadores do PMDB no ano que vem em todo o Estado, não  deverão ter suas possibilidades eleitorais diminuídas e muito menos inviabilizadas.

EVIDENTEMENTE que os adversários poderão explorar o fato em palanque, mas sem nenhum resultado que possa prejudicar os postulantes peemedebistas, a não ser que as referidas sanções impeçam os candidatos de disputarem o pleito do próximo ano, por exemplo, o que não deverá acontecer, segundo nosso entendimento.

É DE SE REITERAR mais uma vez, que a maioria do eleitorado, principalmente os mais simples, que não são bem informados a respeito da política, geralmente votam em quem tem a fama de vir a ser bem votado e tido com chances de vir a ser eleito, menos se importando com suas qualidades.

Assim, em termos de eleições municipais a serem realizadas no próximo ano, vereadores com reeleições sucessivas ou os que se elegeram pela primeira vez em 2.004, mas com fama de contarem com grande eleitorado, são os que têm mais chances, pois é de repetir que a maioria dos eleitores vota em quem acha que vai ser eleito, independente do partido ao qual pertença, do que se trata de um péssimo costume da maioria dos eleitores brasileiros.

3- O DEPUTADO ESTADUAL PERCIVAL MUNIZ, deverá ter pela frente um 2.008 com possibilidades de muitas  alternativas e perspectivas de vitória e derrota, face à sua pretensão em ser candidato ao governo do Estado em 2.010 e ter a eleição à Prefeitura de Rondonópolis como degrau indispensável, embora negue  à imprensa que pretenda voltar ao paço municipal.

Comecemos por analisar em ele sendo candidato a prefeito em 2.008 enfrentando Adilton Sachetti e Zé Carlos do Pátio, e terá que vencê-los a todo custo, o que lhe será uma tarefa muito difícil.  Apesar do punche oposicionista de Zé Carlos, Adilton tem um imenso rol de realizações na cidade, como a pavimentação asfáltica da maioria das ruas que ainda não tinham esse melhoramento, a iluminação com lâmpadas a vapor de mercúrio, a ampliação do fornecimento de água, a melhoria e ampliação de escolas da rede municipal de ensino e a construção de mais unidades, o que dará uma cidade basicamente sem problemas urbanos.

SENDO DERROTADO por Adilton, Zé Carlos ou Rogério Salles,  Percival terá grandes dificuldades eleitorais a enfrentar se disputar o governo do Estado  no ano de 2.010.

Em não disputando a Prefeitura no próximo ano, poderá ser acusado de ter medo de perder. E apoiando a esposa Ana Carla, as dificuldades serão inúmeras e igualmente será acusado de fuga, e ela teria dificuldades mil em disputar contra Adilton, Zé Carlos e Rogério Salles, o que anularia a possibilidade futura em disputas eleitorais.

O melhor caminho para Percival seria fazer as pazes com Adilton Sachetti e apoiar a sua candidatura à reeleição para a Prefeitura, com o compromisso de ser apoiado por ele e por Blairo Maggi nas eleições de 2010, promessa essa a ser dita nos palanques na campanha eleitoral do ano que vem. Percival teria essa isenção de ânimo, humildade e competência política, caso Adilton aceite e ponha fim ao rompimento ocorrido? É de se perguntar se o eleitorado também vai aceitar essa aliança, depois que ambos trocaram acusações feitas em público e principalmente pela imprensa.

QUEM TORCE para que Percival não volte a se aliar com Adilton, é o deputado peemedebista Zé Carlos do Pátio, uma vez que as possibilidades do peemedebista contar com o apoio do ex-prefeito do PPS, em troca do PMDB apoiar sua candidatura ao governo do Estado, existem nessas negociações entre os dois grupos.

ALIÁS, a volta da aliança entre Percival e Adilton, poderia ser fatal para Zé Carlos e até certo ponto indesejada por Carlos Bezerra, tendo em vista a possibilidade de este vir a pleitear a reeleição para a Câmara Federal, ou principalmente voltar para o Senado em 2.010. Apesar de todas as possibilidades da candidatura de Welinton Fagundes para o Senado, muito embora não houvesse empecilho, pois duas serão as vagas em disputa para aquela casa.

COMO SE VÊ, essas são possibilidades que podem decorrer do pleito do ano que vem, decorrente do quadro que poderá passar a existir, como acima se descreveu, e que os próprios políticos que poderão integrá-la, deverão  estudá-las exaustivamente, sendo que tais possibilidades  podem estar fazendo parte de inúmeros estudos e conversas que devem estar acontecendo.

SÃO ATÉ CERTO ponto pertinentes as observações de José Medeiros, presidente do PPS local, segundo as quais está faltando uma oposição maior a Adilton Sachetti, quer por parte de Percival ou José Carlos, o que reforça o entendimento da Coluna, que o ex-prefeito  do PPS poderia estar decidido mesmo em voltar a se aliar com o atual prefeito, apoiando sua reeleição em troca do apoio à sua postulação ao governo do Estado. Afinal, a política realmente é como uma nuvem.

4-  POR OUTRO LADO, a Coluna tem encontrado constantemente em festas, solenidades comemorativas e, aliás, em todos os eventos pela cidade, a empresária Mariene Fagundes, esposa do deputado federal Wellinton Fagundes. A pergunta é se tem em vista uma disputa eleitoral no ano que vem, como vice-prefeita ou até mesmo a vereança, para começar a carreira política? Vamos conferir, evidentemente.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here