Ex-chefe de gabinete de Silval complica prefeito da Capital

Registro da sessão de ontem da CPI do Paletó, na Câmara Municipal de Cuiabá – Foto: Divulgação

O ex-chefe de gabinete do ex-governador Silval Barbosa, Sílvio César Corrêa, disse, nesta sexta-feira (16), em depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), na Câmara de Vereadores de Cuiabá, que o dinheiro que Emanuel Pinheiro (MDB) aparece recebendo em vídeo é de propina. Emanuel nega ter sido beneficiado com esquema de propina no governo.
“Ele (Emanuel Pinheiro) foi pra receber propina do acordo. Não tinha outra finalidade”, disse, ao ser perguntado sobre outra suposta finalidade da entrega do dinheiro ao político. A CPI apura a suposta quebra de decoro e obstrução da Justiça por parte de Pinheiro, à época em que ele era deputado estadual. Algumas vezes, o dinheiro foi entregue diretamente a Pinheiro e, em outras, repassadas a outros deputados para que fosse feita a entrega, segundo o ex-chefe de gabinete.
“Tiveram vezes que Emanuel estava em sessão e deixei o dinheiro com Mauro Savi e Romoaldo para que eles repassassem para Emanuel (Pinheiro)”, disse o ex-chefe de gabinete. Mauro Savi (PSB) e Romoaldo Júnior (MDB) são deputados e também foram citados por Silval Barbosa, no acordo de delação, como beneficiados com o esquema, mas ambos negam ter recebido propina.
No dia da gravação, Sílvio disse que Emanuel levou R$ 20 mil, por ser menos volumoso, mas depois voltou para pegar o resto. No esquema de corrupção na gestão Silval Barbosa, Sílvio Corrêa era o responsável por entregar a propina aos políticos. Algumas entregas de dinheiro vivo foram gravadas por uma câmera escondida, instalada no gabinete de Sílvio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here