FILAS
Pessoas madrugam para obter documento de identidade

Aumento da demanda na cidade e região e reduzida estrutura de atendimento fazem com que pessoas enfrentem filas

Flagrante de fila no começo da manhã de ontem para obtenção da carteira de identidade no prédio da Politec, no Centro – Foto: André Moraes

As pessoas que precisam tirar o seu primeiro documento de identidade ou tirar uma segunda via do mesmo devem reservar tempo e muita paciência, pois o órgão que emite os documentos funciona apenas no período da manhã e nas primeiras horas da madrugada já começam a se formar as longas filas de espera no local. O problema já é antigo e é agravado pelo período chuvoso, que causa ainda mais desconforto para as dezenas de pessoas que procuram o local diariamente e são obrigadas a se amontoarem para não se molharem no exíguo espaço disponibilizado para receber o cidadão.
Segundo a perita e coordenadora regional da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), Ariadne Matos, o Posto de Identificação da cidade está funcionando normalmente, mas as filas são formadas devido ao grande número de pessoas que o procuram diariamente. “Isso tem a ver com o aumento de demanda nessa época do ano, quando os pais procuram fazer as identidades dos seus filhos para a matrícula nas escolas. É bom lembrar também que nós atendemos a população de todas as cidades da região”, informou.
Ainda de acordo com ela, outro motivo que contribui com a formação de filas de espera é o pequeno número de funcionários disponibilizados para o serviço. “Nós temos apenas dois funcionários efetivos e duas estagiárias para atender todo mundo que procura o posto. É muito pouco funcionário para o tanto de serviço que há”, emendou Ariadne Matos.
Ela ressaltou ainda que as estagiárias contratadas para auxiliar no órgão não podem realizar grande parte dos serviços, o que dificulta mais ainda no atendimento ágil das pessoas. “Nós precisávamos de ao menos seis funcionários efetivos aqui e um local com mais espaço para essas pessoas que nos procuram. Aqui é muito pequeno e não tem como oferecer conforto”.
A coordenadora da Politec observou que diariamente são atendidas cerca de 50 pessoas e que muitas das vezes não consegue atender todas aquelas que vão à unidade, obrigando essas pessoas a voltarem no dia seguinte. “As pessoas precisam entender que o trabalho que fazemos no posto não é um trabalho simples, que leva um tempo para ser feito, que exige muita responsabilidade”, disse.
Na sua opinião, o problema deve diminuir nos próximos dias, mas somente será resolvido em definitivo quando o órgão contar com uma sede mais ampla e um número maior de funcionários. “Há uma promessa de se construir um complexo de segurança onde hoje é o IML, que teria um espaço maior para o Posto de Identificação. Mas enquanto isso não acontece, a gente faz o que pode dentro das nossas limitações”, concluiu.
O Posto de Identificação funciona na Avenida Marechal Dutra, na região central da cidade.

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *


Compartilhe esta Notícia

Popups Powered By : XYZScripts.com