Um bem-te-vi

Um bem-te-vi pousou no fio
Defronte a minha casa
Olhou-me fixamente
Como quem pede um poema

Depois voou sinuoso
Fazendo um S no ar
Cantava uma bênção:
“Bem-te-vi, bem-te-vi”

Atendi seu pedido e disse:
“O prazer foi meu”
Bem-te-vi, bem-te-vi
Bem-o-vi… bem-ouvi

(*) Marcelo Brito da Silva é doutorando em Estudos Literários pela UFMT, professor do IFMT e membro da Academia Rondonopolitana de Letras

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *


Compartilhe esta Notícia

Popups Powered By : XYZScripts.com