Rondonópolis se aproxima das 100 cidades mais ricas

O PIB (Produto Interno Bruto) alcançou no município a cifra de R$ 8,358 bilhões em 2015

Foto: Invent Produções

O município de Rondonópolis caminha para fazer parte do ranking das 100 cidades mais ricas do Brasil. Os dados do PIB (Produto Interno Bruto) dos Municípios 2015, publicados nesta semana pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), colocam Rondonópolis na 104ª posição no ranking nacional das economias mais fortes do País, que possui 5.570 cidades. O PIB do município aumentou quase 75% em um período de seis anos.
Segundo os dados do IBGE, o PIB – que é a soma de todas as riquezas produzidas por uma localidade – alcançou em Rondonópolis a cifra de R$ 8,358 bilhões em 2015, ante R$ 7,643 bilhões em 2014. Em 2010, o PIB da cidade era de apenas R$ 4,826 bilhões. A chegada da ferrovia, em 2013, vem sendo apontada como um alavancador da economia local. Na ranking nacional, Rondonópolis aparece à frente de três capitais, no caso das cidades de Rio Branco/AC (R$ 8,266 bilhões), Boa Vista/RR (R$ 7,559 bilhões) e Palmas/TO (R$ 7,4 bilhões).
Na região Centro-Oeste, o município de Rondonópolis se mantém como a sétima principal economia, atrás das cidades de Brasília/DF (R$ 215,613 bilhões), Goiânia/GO (R$ 46,632 bilhões), Campo Grande/MS (R$ 24,257 bilhões), Cuiabá/MT (R$ 21,220 bilhões), Anápolis/GO (R$ 13,301 bilhões) e Aparecida de Goiânia/GO (R$ 11,518 bilhões). Ainda na região, as cidades que se posicionam atrás de Rondonópolis são Rio Verde/GO, com PIB da ordem de R$ 8,078 bilhões, e Três Lagoas/MS, com R$ 7,860 bilhões.

O Produto Interno Bruto (PIB) de Rondonópolis aumentou quase 75% em um período de seis anos, entre 2010 e 2015 – Foto: Invent Produções

Dentro do PIB de Rondonópolis, o setor mais importante na economia local é o de prestação de serviços, incluindo o comércio, com um valor adicionado (VA) da ordem de R$ 3,886 bilhões. O valor adicionado é a contribuição ao Produto Interno Bruto pelas diversas atividades econômicas. Depois, o segundo segmento mais importante é o industrial, com valor adicionado de R$ 2,328 bilhões. O valor adicionado da administração pública é da ordem de R$ 1,065 bilhão, e o da agropecuária, R$ 245,5 milhões. Os impostos sobre a produção totalizam R$ 831,7 milhões.
Dentro do cenário estadual, Rondonópolis, mesmo tendo a terceira maior população, mantém a vice-liderança econômica com folga, com um PIB superior em mais de R$ 2 bilhões em relação a Várzea Grande, que aparece com um PIB da ordem de R$ 6,267 bilhões em 2015. Mais atrás estão as cidades de Sorriso (R$ 4,655 bilhões) e Sinop (R$ 4,426 bilhões). Vale observar, dessa forma, que a riqueza produzida por Rondonópolis é quase o dobro em relação a Sinop, tida como a “capital” do nortão do Estado.
Em 2015, mais de 30% dos municípios dos estados do Rio de Janeiro, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso apresentaram PIB per capita (dividido pelo número de habitantes) superior ao nacional (R$ 29.323,58). O PIB per capita de Rondonópolis em 2015 passou a ser de R$ 38.817,83.

2 COMENTÁRIOS

  1. É de fato uma pena perceber que a riqueza do Município não é minimamente proporcional à qualidade de vida observada! Ficaria imensamente mais feliz em ver Rondonópolis como uma das melhores em qualidade de vida, educação, qualidade urbanística, mobilidade urbana, qualidade da gestão pública, etc… Ao contrário disso, Rondonópolis aparece em posicionamento totalmente medíocre nesses quesitos! O que interessa ao povo da cidade é que Rondonópolis apareça como “uma das mais ricas do país” ou como “uma das melhores para se viver”? Qual é o motivo de orgulho em ser uma das mais ricas e ao mesmo tempo uma das piores em educação, uma das mais violentas, nota zero em arborização, nota zero em urbanização… …NÃO HÁ MOTIVOS PRA SE ORGULHAR! DEFINITIVAMENTE.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here