Depois daquele beijo

(Para Lurdinha pelo seu aniversário)

Você me imprensou na parede, literalmente.
Não pude escapar daquele beijo.
Não foi um beijo casual, foi proposital.

Eu não sabia que o amor nascesse assim.
De um beijo louco.
De um dizer calado, depois de dizer tudo.
Com os lábios amassados um no outro.

Depois daqueles minutos eternos,
Meu coração voou para fora do seu lugar.
Balançava, num pulsar sem fim.
A visão que surgia era pequena,
Não se via nada, além de você em mim.

Meus olhos delataram,
Meu corpo destilava mel.
Eu vi o meu inferno se tornar um céu.

Depois que você foi embora.
A saudade ficou bem nítida.
Eu não queria mais viver sem você.

Sabia que logo voltarias.
E só um beijo não seria o suficiente,
Para apagar a fogueira do meu coração,
Que você acendeu em mim.

(*) Isaías Dias. Poeta e escritor. Membro da Academia Rondopolitana de Letras. Cadeira 14 – isaiasdias.sjp@gmail.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here