Tópicos

BIBLIOTECONOMIA DE LUTO I

A coordenação do Curso de Biblioteconomia da UFMT de Rondonópolis emitiu nota de pesar pelo falecimento da acadêmica Vera Lúcia do Amaral Freitas Rodrigues (43), ocorrido por volta das 23 horas do domingo (10), na Santa Casa de Rondonópolis. A aluna rondonopolitana morreu vítima de problemas cardíacos que surgiram no semestre passado. O corpo da universitária está sendo velado na União Familiar, em frente ao quartel do Corpo de Bombeiros. O sepultamento está marcado para as 7 horas de hoje (12), no Cemitério Santa Cruz. Ela deixa esposo e três filhos.

BIBLIOTECONOMIA DE LUTO II

O coordenador do curso, professor André de Souza Pena, decretou a suspensão das aulas na noite de ontem (11) para possibilitar que todos participassem do velório da aluna. Ele avalia que todos do curso ficaram sensibilizados com a dor família, dos professores e dos colegas e amigos da acadêmica. O professor Alexandre Gusmão destaca que a Vera Freitas era uma aluna ativa, cativante e participativa que gostava muito de estudar e de estar presente em todas as atividades do curso, inclusive nas viagens de estudo. “Ela tinha alegria, muita vontade de viver e, de concluir o curso para proporcionar uma vida melhor para a família”, destaca.

AÇÃO EXTINTA I

O juiz Mário Roberto Kono de Oliveira, do Juizado Criminal Unificado, declarou a extinção da punibilidade da internauta H.P.C., por conta da prescrição de pena pelos crimes de difamação e ameaça que ela era acusada pela juíza Selma Rosane Santos Arruda, titular da 7ª Vara Criminal de Cuiabá. A representação criminal foi motivada por conta de um comentário postado pela internauta em uma matéria de site de notícias, no dia 4 de junho de 2013, usando o codinome “Xomano”.

AÇÃO EXTINTA II

Conforme o magistrado, o Código Penal prevê a extinção da punibilidade pela prescrição. No caso da ameaça, a prescrição ocorre em 3 anos e no caso da difamação, em 4 anos. Dessa forma, os crimes prescreveram em junho de 2016 e de 2017, respectivamente. A decisão foi proferida em outubro.

CRÉDITO PODRE I

A Secretaria de Estado de Fazenda – Sefaz vai compartilhar com outros estados as informações relativas sobre a sonegação de mais de R$ 140 milhões de Imposto sobre Circulação de Mercadorias – ICMS, em venda de grãos produzidos em Mato Grosso para outras unidades federativas. Isso só deve acontecer depois da conclusão do inquérito e autuação dos sonegadores investigados pela Operação Crédito Podre.

CRÉDITO PODRE II

Como as commodities eram vendidas para beneficiadoras e agricultores de outros estados, essa medida vai ajudar as secretarias em todo país a tomar as providências necessárias para punição essa parcela da organização criminosa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here