DEFINITIVO
Últimas crianças são transferidas e UTI fecha as portas por completo

A situação emocionou os colaboradores da Santa Casa que atuam dentro da unidade intensiva, que foram às lágrimas durante o anúncio

Foto: Divulgação Santa Casa

As duas crianças que permaneciam internadas na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Pediátrica da Santa Casa de Rondonópolis, mesmo após o anúncio do fechamento da unidade na última semana, foram transferidas do local, conforme informou a diretoria do hospital filantrópico, na tarde de ontem (13). Com isso, a UTI Pediátrica está com o atendimento encerrado por completo e fechada de forma definitiva. A situação emocionou os colaboradores da Santa Casa que atuam dentro da unidade intensiva, que foram às lágrimas durante o anúncio.
Conforme o superintendente da Santa Casa, Éder Lúcio de Souza, uma estrutura foi montada para atender as duas crianças na UTI Neonatal, e elas serão atendidas junto aos recém-nascidos. Uma das crianças, que é indígena, está há sete meses na UTI da Santa Casa, acompanhada de perto pelos pais.
Da dívida do estado com o hospital filantrópico, que é de R$ 5,3 milhões, um total R$ 868.429,36 foi repassado ao Fundo Municipal de Saúde, e encaminhados pelo município para a unidade. Com o dinheiro entrando em conta ontem, a paralisação do corpo clínico, que começou no dia 26 de outubro, não foi encerrada. “O valor depositado serve como pagamento do mês de julho aos profissionais que atuavam na UTI, mas ainda falta o pagamento dos meses de agosto, setembro e outubro deste ano”, explicou o vice-diretor presidente da Santa Casa, Kemper Carlos Pereira.
Sem receber salários, médicos, fisioterapeutas e fonoaudiólogos estão realizando apenas atendimento de urgência e emergência no hospital. Serviços como cirurgias eletivas, que são aquelas com dia marcado, estão suspensos desde o início da paralisação. No caso da UTI pediátrica, conforme já relatado por diversas vezes pela reportagem, além da falta de materiais e medicamentos, a unidade sofre com a falta de médicos intensivistas pediátricos, e mesmo que o estado repasse todo o recurso devido, a equipe terá que ser remontada.

Leitos vazios da UTI Pediátrica: serviços foram interrompidos por completo ontem – Foto: Divulgação Santa Casa

DESABAFO
Dos quatro intensivistas pediátricos que são necessários para manter a UTI Pediátrica em funcionamento, dois haviam se desligado da Santa Casa, devido aos quatro meses de salários atrasados. Os outros dois continuavam trabalhando até o fechamento por definitivo ontem. A médica Ana Paula Bellinat, que é de Rondonópolis, fez um desabafo sobre a situação.
Ela conta que deixou Rondonópolis há 14 anos para estudar medicina, e após seis anos de curso e depois a residência médica em pediatria, descobriu a paixão profissional: Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica. “Há cerca de quatro meses retornei à minha casa e, desde então, tenho me dedicado exclusivamente a nossa ‘UTI Ped’ na Santa Casa. Foram diversas alegrias e algumas tristezas, cada criança que salvamos foi uma vitória minha e da minha equipe. Infelizmente o sonho durou muito pouco. A escala de plantonistas foi se minguando e as portas da unidade se fechando. Sim, a diretoria sabia da evolução catastrófica e os políticos também, a nós médicos não restou soluções. Estávamos sem receber e, independente disso, ainda assim permanecemos prestando nosso melhor serviço aos que precisavam. As nossas contas continuaram vencendo como de toda população, não importando aos fornecedores o nosso juramento como médicos”, lamentou.
PROTESTO
Após muitos anos de luta por parte da sociedade de Rondonópolis, e do registro de mortes de crianças devido a falta de leitos de UTI Pediátrica e indisponibilidade de vagas em outras regiões e estados, os moradores da região Sudeste de Mato Grosso foram beneficiados com os oito leitos de UTI Pediátrica.
Pouco mais de um ano em funcionamento, elas são fechadas por falta de médicos para atuar e recursos para repor os insumos e garantir o atendimento aos pacientes. Na última semana, moradores inconformados com a situação protestaram de forma silenciosa, com uma vigília, contra o fechamento da unidade.
Hoje (14), um novo protesto está sendo organizado pelas redes sociais para de novo, de forma silenciosa, utilizando velas e cartazes, a população possa demonstrar aos políticos e ao poder público a insatisfação diante do fechamento da UTI. O encontro está marcado para às 18h30, na Praça que fica em frente a Santa Casa de Rondonópolis.

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *


Compartilhe esta Notícia