GREVE NO PRESÍDIO
Réu se recusa a comparecer e julgamento é adiado

Foto: Arquivo

O começo da última temporada do Tribunal do Júri de Rondonópolis deste ano, que tinha o primeiro julgamento previsto para ontem (13), ficou prejudicado devido ao movimento de greve de fome de detentos nas penitenciárias do Estado, entre elas a Mata Grande.
A pauta de julgamento faz parte da proposta do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que instituiu novembro o mês Nacional do Júri, um período de esforço concentrado para julgamento dos crimes dolosos – cometidos com intenção – contra a vida.
De acordo com a assessoria da 1ª Vara Criminal, o acusado Joel Marcos de Lima, que está preso na Mata Grande, se recusou a ir ao julgamento devido a greve. Já o segundo réu, Nicodemos Moreira de Oliveira, que está preso em uma unidade prisional em Cuiabá, não teve seu deslocamento autorizado por falta de verba para o transporte por parte do Governo do Estado.
Para este mês, estão previstos mais 12 julgamentos, mas existe a possibilidade de mais adiamentos, uma vez que o movimento dos presos nos presídios do Estado continua. Na pauta do júri, a próxima sessão está agendada para hoje (14). O processo segue em segredo de justiça.
No Fórum local, não foi somente o Tribunal do Júri prejudicado, mas também as demais audiências das varas criminais, onde diversos presos se recusaram a se deslocar até o Fórum de Justiça.
Os réus Joel Marcos de Lima e Nicodemos Moreira de Oliveira, que deveriam ser julgados ontem, segundo a denúncia do Ministério Público Estadual (MPE), são acusados do assassinato de Wesley Moreira de Oliveira, crime ocorrido no dia 17 de março de 2013, na Rua Goiânia, no bairro Jardim Pindorama, em Rondonópolis.

1 comentário

  1. Greve de fome? Deixe-os somente com água por cinco dias. . . . .

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *


Compartilhe esta Notícia