SEM REPASSES
UTIs da Santa Casa podem parar devido a falta de dinheiro

Governo do Estado não faz repasses desde o mês de junho. Dívida com o Hospital Filantrópico está próxima dos R$ 5 milhões

Corpo clínico, que não recebe há quase quatro meses, realizou reunião na noite de ontem – Foto: Patrícia Cacheffo

O corpo clínico da Santa Casa de Rondonópolis, em reunião realizada na noite de ontem (19), decidiu convocar uma assembleia para o próximo dia 25 de outubro, em que uma paralisação geral será votada. Sem dinheiro, o Hospital Filantrópico não realiza pagamento de salários dos médicos, fisioterapeutas e fonoaudiólogos há quase quatro meses. A paralisação desta vez deve incluir as atividades das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) de forma geral (adulto e infantil), o que pode agravar ainda mais a situação da saúde pública na região de Rondonópolis.
Os atrasos de repasses por parte do Governo do Estado estão em média na casa dos R$ 5 milhões. O último repasse para o hospital foi feito no mês de junho. Os pagamentos não realizados estão relacionados aos serviços de média e alta complexidade, serviços de cardiologia e, especialmente, as UTIs. O caso mais grave é o da UTI pediátrica, uma luta da sociedade por anos para que o serviço fosse oferecido na cidade, e que agora está sob risco.
A reunião contou com a presença dos coordenadores de especialidades, e representantes dos fisioterapeutas e fonoaudiólogos, que repassaram à direção da unidade a insatisfação quanto a situação salarial, e acenaram de forma unânime para a realização da assembleia geral, que deve votar entre os colaboradores afetados a deflagração da paralisação ou não.
Contudo, a expectativa é de que caso não haja um entendimento com o Governo do Estado nos próximos cinco dias, prazo legal para que a assembleia seja realizada, a paralisação será aceita. A direção da unidade, durante a reunião, fez uma explicação da situação financeira do hospital e dos atrasos dos valores que estão comprometendo os atendimentos. Em algumas áreas, como a pediatria por exemplo, a Santa Casa está com dificuldade para manter médicos pediatras nos plantões, já que sem receber, os profissionais estão deixando o quadro de colaboradores do hospital.
Caso confirmada a paralisação do corpo clínico no próximo dia 25, a população deve voltar a sofrer com a falta dos serviços prestados pela unidade.
APOIO
Hoje (20), a direção da Santa Casa deve se reunir com representantes de 19 municípios da região, que também são atendidos pelo Hospital Filantrópico, para cobrar, entre outras coisas, o apoio com relação às questões financeiras do hospital. Com estimativa de ser referência para uma população superior a 500 mil habitantes, a Santa Casa deve apresentar um balanço das dificuldades financeiras, inviabilidade da UTI pediátrica, o deficit em que o hospital trabalha, a responsabilidade dos municípios com os filantrópicos, entre outros.

2 comentários

  1. ENQUANTO QUE EM BRASILIA O TOMA LÁ DA CÁ É UMA CONSTANTE COM MILHÕES DE DINHEIRO PÚBLICO, A SAÚDE AGONIZA PELO BRASIL, ASSIM COMO A FALTA DE SEGURANÇA PÚBLICA. ACONTECE QUE ESSAS PESSOAS QUE LÁ SE ENCONTRAM NÃO NOS REPRESENTAM, MAS SOMENTE A SI PRÓPRIAS, ATRAVÉS DA CORRUPÇÃO E ROUBALHEIRA DESENFREADA.

  2. Aires José Pereira

    Enquanto está sobrando dinheiro para o Temer comprar votos dos Deputados para se manter no poder a todo custo, falta dinheiro para saúde, moradia, saneamento básico, educação, segurança etc! Esse é o Brasil que Renato Russo já perguntava: “Que país é este”!

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *


Compartilhe esta Notícia