Matraca

TÚNEL DO TEMPO

Ela é dona de uma voz inconfundível. A nossa personagem do “Túnel do Tempo” desta semana é a jornalista e repórter da TV Cidade-Record Izabel Torres. A foto estilosa é da época em que ela militava no rádio. “Bom dia Matraca! Como eu acerto todas, anota aí pra mim: é a Izabel Torres”, cravou seco a Sílvia da Fazenda Ribeirão. “Eu creio que aquela moça com ares de atriz hollywoodiana é a jornalista Izabel Torres”, vacilou a Cássia Renovato. “Parece a Cláudia Bouviê, tem uma pintinha da Coracy Lima, mas é a Izabel Torres”, provocou o coleguinha Lucas Perrone, que vai acabar é apanhando dessa mulherada com pau de macarrão.
Quem não quiz se comprometer foi o radioclubino Jota Moraes, no seu “Rondonópolis Verdade”, preferindo pedir arrego para o Matracoso aqui afirmando que não iria se arriscar. Enquanto isso, a lista dos que foram cirúrgicos no palpite, a exemplo da Silvinha, segue com o Wender “Totô” Dias da Rádio Juventude, com o Joel Colecionador, com o Pedro Ribeiro Alcântara, com o Jesuildo Amaro, com a Kátia Almeida Rodrigues, com a Rosimeire Cunha, com o Paulo Firmino de Castro, com a Maria da Graça e Silva e por aí segue…

BOLA MURCHA

Mais uma vez, quem leva o troféu “bola murcha” pra casa é o Fião Garapeiro. Ele enxergou na foto da Izabel Torres uma outra repórter de TV, a Patrícia Cacheffo, que também faz parte do time de jornalistas do A TRIBUNA.
Que fase, em Fião!

O GANHADOR DA PEIXADA

Feito o sorteio entre os acertadores, a saborosa peixada da semana, patrocinada pelo Rico e valendo para duas pessoas, ficou com a Kátia Almeida Rodrigues. Ela pode passar na recepção do A TRIBUNA e retirar os seus convites.

LOROTA

Com relação a taxa do lixo, muita lorota o Matracoco ouviu de nossos nobres colegas vereadores durante a sessão camarina de ontem. A maioria deles, tentando enfiar na cabeça do povão que a construção do novo aterro sanitário, que gerou na cobrança da bendita taxa do lixo, é uma exigência da Lei Federal dos Resíduos Sólidos. Até aí tudo bem, não se discute. Agora, porém, entretanto, finalmente, ao que o Matracoso sabe, não há nenhum dispositivo na dita cuja lei que determina que o aterro sanitário tem que ser privado e, por isso, visa lucros. Por que o município não construiu o seu próprio aterro?
Eis a questão!

DEU NO JORNAL

Maldade pura. Diz que em Portugal acaba de descobrir a vacina contra a dengue. O problema para os portugueses está sendo vacinar todos os mosquitos.
Ah, ah, ah, ah, ah…

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *


Compartilhe esta Notícia