CIDADE EM ALERTA
Quatro incêndios em edificações em menos de 10 dias

Tenente Anttoniery Campello, do Corpo de Bombeiros de Rondonópolis - Foto: Patrícia Cacheffo/A TRIBUNA

Tenente Anttoniery Campello, do Corpo de Bombeiros de Rondonópolis – Foto: Patrícia Cacheffo/A TRIBUNA

Dois novos incêndios em edificações na noite de anteontem (18), deixaram a população da cidade bastante apreensiva. Em menos de 10 dias, já foram quatro incêndios de médio e grande porte ocorridos em edificações, um número que causa bastante preocupação.
Além do incêndio no prédio da Biblioteca Municipal na última quarta-feira (13), em que a sala do acervo, livros e papéis foram destruídos pelo fogo, e do incêndio de grande proporção no Frigorífico Agra, no último sábado (16), um restaurante e a sala de aula de uma escola também pegaram fogo.
No caso do restaurante, segundo o Corpo de Bombeiros, a corporação foi acionada por populares por volta de 21h50 de anteontem. O restaurante fica na Rua 13 de Maio, no Bairro Jardim Guanabara, próximo ao Hospital Regional.
Os militares chegaram ao local após o chamado e se depararam com o fogo alastrado por cinco cômodos do restaurante. O trabalho feito foi o de reduzir as chamas e evitar que o incêndio atingisse as casas vizinhas, já que o telhado do estabelecimento era colado ao muro. O restaurante estava fechado quando o fogo começou, e felizmente ninguém se feriu.
Também na noite de anteontem, uma sala de aula da Escola Estadual Maria de Lima Cadidé, que fica na Avenida São João, Vila Operária, também pegou fogo. Cadeiras, aparelho de ar condicionado, ventiladores, armários, material de ensino e telhado foram consumidos pelas chamas.
Os bombeiros foram chamados para combater o incêndio pelo guarda da escola, que percebeu o início do fogo após a queda de energia elétrica no bairro. Conforme a diretora, a unidade já apresentava problemas elétricos e a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) já havia sido notificada sobre a situação.
Em nota, a Seduc disse que enviou um arquiteto, engenheiro civil e elétrico ao local para avaliar os danos provocados pelo incêndio. “A Escola é uma prioridade para nós nesse momento e vamos atender todas as necessidades”, diz trecho da nota.
No caso do incêndio na biblioteca, ainda não há informações sobre o que pode ter motivado o fogo. Com relação aos incêndios no Agra, no restaurante e na sala de aula da Escola Cadidé, a mesma suspeita recai sobre problemas elétricos, embora a perícia ainda não tenha confirmado essa informação.
BOMBEIROS
De janeiro de 2017 até o momento, foram registrados pelo Corpo de Bombeiros de Rondonópolis um total de 114 casos de incêndio em edificação ou veículos. Além disso, foram 263 incêndios em vegetação e um total de 7.111 atendimentos nas mais diversas situações.
O tenente do Corpo de Bombeiros, Anttoniery Campello, explica que o 3º Batalhão de Rondonópolis é o segundo melhor equipado do Estado, e tem estrutura para atender essas ocorrências.
“Além disso, em casos graves, o apoio de Cuiabá é solicitado, como no caso do incêndio na Tadarimana, em que militares do Batalhão de Operações Especiais foram chamados, e no incêndio do Atacadão, em que a a aeronave trouxe a espuma pedida”, lembra.
O tenente comenta que a cidade tem muitas edificações, especialmente comerciais e industriais, e por isso os grandes incêndios podem acontecer. “O Alvará não garante que um incidente não irá acontecer, mas que se acontecer, todos vão sair em segurança e os prejuízos materiais serão reduzidos. No caso das empresas grandes, o risco é analisado pelos bombeiros, e elas precisam ter além dos equipamentos preventivos, os brigadistas”, comenta Campello.
No que diz respeito às edificações com menos de 750 metros, o proprietário tem que ter a saída de emergência e extintores de incêndio, e fazer uma autodeclaração ao Corpo de Bombeiros de que está dentro do que pede a lei. Quando o Alvará vence, ele só é renovado por meio de vistoria dos militares.
Sobre a coincidência dos acidentes na cidade nos últimos dias, o tenente afirma que não é possível dizer se os mesmos tem correlação, já que somente a perícia pode apontar as reais causas dos sinistros.
RECLAMAÇÕES
Pelas redes sociais, a população tem reclamado muito das quedas de energia elétrica e oscilações na rede nos últimos dias. Os moradores relatam que tem enfrentado até mesmo problemas para manter os aparelhos de ares condicionados em funcionamento, já que o fornecimento de energia não estaria sendo o suficiente.
A população tem levantado a hipótese, inclusive, de que os incêndios poderiam não ser apenas uma coincidência, mas um reflexo dos problemas na rede de energia.

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *


Compartilhe esta Notícia