Maçãs

Amadeu Garrido - 29-07-16 foto
Do elevado da rua de pedras antigas
descia a mulher-menina com seu cesto de maçãs
talvez querendo, ou por intuitivas cismas
deixou-as rolar qual rolemãs

O jovem agraciava as maçãs
ao repô-las no cesto
o tempo era seu parceiro, Deus das manhãs
sua alma vibrava a cada lerdo gesto

A sensibilidade menina
sabia do que se tratava
porém sua alma também brincava
com o Deus tempo estancado na esquina

Não sabiam que um poeta os observava
e o tempo estancou também em sua memória.
Deveras…
qual poeta imergira em tal história?

(*) Amadeu Roberto Garrido de Paula é advogado com uma ampla visão sobre política, economia, cenário sindical e assuntos internacionais

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *


Compartilhe esta Notícia