EM RONDONÓPOLIS
Polícia recupera R$ 50 mil em semijoias levadas em roubo

Semijoias estavam distribuídas em 25 mostruários - Foto: Patrícia Cacheffo

Semijoias estavam distribuídas em 25 mostruários – Foto: Patrícia Cacheffo

A Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf), em Rondonópolis, recuperou 25 mostruários de semijoias levados em um assalto na última terça-feira (8), que somam aproximadamente R$ 50 mil. Além das semijoias, outros objetos, uma Amarok e o cachorro da vítima foram levados no assalto, que aconteceu no Jardim Liberdade.
As peças foram recuperadas no mesmo bairro da ocorrência, durante diligências dos investigadores. A caminhonete foi abandonada na área do antigo aeroporto horas depois do crime, e recuperada pela Polícia Militar (PM). Já o cachorro de estimação da família, da raça Shih Tzu, ainda não foi localizado.
O delegado da Derf, Gustavo Belão, explicou que a vítima, que é fornecedor de semijoias, informou que foi até a casa da vendedora Dieli de Carvalho Matos, de 25 anos, para acertar a venda de algumas peças. “Quando ele estava no local, dois homens entraram na residência, um deles vestindo uniforme dos Correios e ambos com capacetes e viseiras. Os suspeitos, armados, subtraíram os mostruários e a caminhonete Amarok da vítima, e todos foram deixados amarrados”, conta o delegado.

Gustavo Belão, delegado da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) de Rondonópolis: repassou à imprensa detalhes da ação dos bandidos - Foto: Patrícia Cacheffo

Gustavo Belão, delegado da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) de Rondonópolis: repassou à imprensa detalhes da ação dos bandidos – Foto: Patrícia Cacheffo

Com as investigações, os policiais chegaram até Carlos Alfredo Ramos de Oliveira, 25 anos. Nervoso, o suspeito entrou em contradições e alegou aos policiais que achou na rua uma bolsa preta com algumas semijoias dentro. Os policiais apresentaram as peças à vítima, que, prontamente, reconheceu como sendo suas semijoias roubadas.
Na residência do suspeito, os policiais encontraram outras peças do mostruário, além de um uniforme de carteiro que teria sido usado durante o assalto.
Após a prisão de Carlos Alfredo, os policiais descobriram que Dieli de Carvalho tinha participação no roubo, passando então de vítima para suspeita. “Ela atraiu a vítima até sua casa e passou as informações, em troca de R$ 1.000. Num primeiro momento ela estava como vítima, mas descobrimos que foi ela quem atraiu a vítima para o local do roubo”, afirmou o delegado Gustavo Belão.
As investigações prosseguem para identificação do comparsa, bem como a localização de outros objetos levados e do cachorro.

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *


Compartilhe esta Notícia