INCÊNDIOS
Período de estiagem exige cuidados especiais

Nessa época, o fogo pode ser provocado pelo próprio maquinário que aquece durante a colheita do milho

Restrição das queimadas controladas começa hoje (15/07) e vai até dia 15 de setembro para evitar incêndios - Foto: Site Sema-MT

Restrição das queimadas controladas começa hoje (15/07) e vai até dia 15 de setembro para evitar incêndios – Foto: Site Sema-MT

Entre os meses de julho e setembro a estiagem, o sol forte e o vento são mais intensos em Mato Grosso. Por isso, a orientação é no sentido do produtor rural tomar alguns cuidados para evitar que o fogo atinja sua lavoura ou a propriedade. Neste mesmo período, as queimadas controladas, prática agrossilvipastoril autorizada pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) para viabilizar a agricultura e renovação de pastagens, ficam proibidas. A restrição é preventiva, começa hoje (15/07) e vai até dia 15 de setembro para evitar incêndios, já que as condições climáticas neste período são propícias à propagação do fogo.
E este tempo seco coincide com a colheita da segunda safra de milho. Nessa época, o fogo pode ser provocado pelo próprio maquinário que aquece durante a colheita, por isso a prevenção é considerada a melhor alternativa neste período.
O analista de Meio Ambiente da Famato Thiago Moraes informa que medidas simples podem ser adotadas. “O produtor precisa ficar atento aos horários de colheita. O ideal é que ela seja feita nos horários em que o sol não esteja tão forte, no início da manhã e no final da tarde”, orienta Moraes.
Outras medidas simples, mas muito importantes são manter um tanque d’água próximo ao local da colheita e treinar os operadores de máquinas e outros funcionários para combater o fogo.
Os incêndios acidentais também podem afetar as lavouras e causar prejuízos aos produtores. Para organizar os trabalhos preventivos, o produtor pode elaborar um plano de prevenção. Nestes planos são detalhadas, de forma simples e objetiva, as atividades que serão desenvolvidas em uma determinada área para prevenir incêndios florestais.
Os aceiros, faixa livre de vegetação, onde o solo fica descoberto podem ajudar a evitar a propagação do fogo. “Cabe ao produtor fazer a manutenção dos aceiros naturais que podem ser as estradas. Eles devem ficar limpos e trafegáveis principalmente durante a área de maior perigo de incêndios. Há também a possibilidade de se construir os aceiros”, explica o analista.
A implantação de vegetação com folhagem menos inflamável, formando uma cortina de segurança, é uma prática eficiente para reduzir a propagação do fogo, pois dificulta o acesso do fogo às copas, facilitando o combate. A construção de pequenos açudes ajuda na obtenção de água no caso de combate a incêndios.
Para intensificar as ações durante o período de estiagem, o Governo do Estado lançou o “Plano de Combate e prevenção às queimadas 2017”. O plano prevê cerca de R$ 3 milhões em investimentos na estrutura de prevenção e resposta.
Penalidades – Utilizar fogo para limpeza e manejo nas áreas entre os dias 15 de julho e 15 de setembro é crime passível de seis meses a quatro anos de prisão, com autuações que podem variar entre R$ 1 mil a R$ 7,5 mil (pastagem e agricultura) por hectare. Nas áreas urbanas o uso do fogo para limpeza do quintal é crime o ano inteiro.

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *


Compartilhe esta Notícia