ENVELOPE VAZIO
Modalidade de estelionato continua a fazer vítimas

Nos últimos 10 dias, sete casos do golpe foram registrados pela Polícia Civil - Foto: Arquivo/A TRIBUNA

Nos últimos 10 dias, sete casos do golpe foram registrados pela Polícia Civil – Foto: Arquivo/A TRIBUNA

O golpe do envelope vazio ou falso depósito, um dos mais comuns aplicados por estelionatários, teve pelo menos sete registros de ocorrência nos últimos dez dias em Rondonópolis. A informação é da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf), da Polícia Judiciária Civil (PJC).
Na última semana, dois jovens envolvidos com esse tipo de crime foram presos pelos investigadores e autuados em flagrante. Conforme as informações divulgadas pela polícia, as diligências se iniciaram após uma vítima procurar a Derf para registrar Boletim de Ocorrência (BO). Em relatos, a vítima contou ter anunciado num site da internet, a venda de um motor de barco, quando uma pessoa entrou em contato interessada na compra. Após a negociação, o comprador encaminhou por meio do aplicado de celular WhatsApp, uma foto do comprovante de depósito constatando o valor acordado, porém, com envelope vazio.
A vítima desconfiou, e conseguiu em tempo acionar os policiais civis, que rapidamente chegaram em sua residência, flagrando os dois jovens carregando o motor. O envelope depositado no caixa eletrônico estava vazio. Logo que verificado a existência do golpe, os dois jovens foram levados à Derf, interrogados e autuados em flagrante por estelionato.
O GOLPE
Nesta modalidade de golpe, o estelionatário começa o crime demonstrando o interesse em um produto ou serviço oferecido pela vítima. Ele então oferece pagar pelo mesmo através de um depósito bancário, vai até o banco, faz um depósito sem colocar nenhum valor dentro do envelope, e obtém o comprovante do depósito. Acreditando que o depósito realmente foi feito, as vítimas entregam o produto da negociação, e depois acabam sendo surpreendidos com a informação de que o valor não foi pago.
Os depósitos bancários feitos via caixa eletrônico não caem imediatamente na conta, porque devem ser conferidos antes pela instituição bancária, que faz a conferência do valor. Por ansiedade da venda, ou até mesmo boa fé, muitas pessoas acabam enganadas e acabam vítimas de criminosos.
A recomendação da polícia e das instituições bancárias é que, neste tipo de negociação, seja solicitado o pagamento no momento da entrega do produto, ou então que o depósito seja feito na boca do caixa.
O envelope no caixa eletrônico deve ser tratado pelo vendedor apenas como  uma “expectativa de pagamento”, pois somente após a conferência bancária o dinheiro realmente entrará na conta do vendedor.
Outra forma de evitar golpes é solicitar que o comprador faça um DOC ou TED via internet.  Mesmo assim, é necessário aguardar a confirmação do banco de que o dinheiro realmente está na conta, antes de entregar o produto.

3 comentários

  1. Esses estelionatários deveriam ter uma pena maior, de modo a tentar inibir a atividade.

  2. eu tive esse golpe a um mes atras me levarao um carinho de espetinho completo com frieezer mesa tudo pra trabalhar no valor de 17 mil me depositarao um evelope vazio sou de primavera do leste o fato ocorreu em rodonopolis .

  3. ainda nao consegui recuperar ja foi pra todo lado atras nada foi feito pela policia proucurei em roodonopolis por tudo e nenhum sucesso

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *


Compartilhe esta Notícia