TRAGÉDIA NA AVENIDA DOS ESTUDANTES
Corpos de vítimas serão sepultados hoje em Rondonópolis

Foto: Patrícia Cacheffo/A TRIBUNA

Foto: Patrícia Cacheffo/A TRIBUNA

Será sepultado hoje (12) no cemitério do Lourencinho, o  corpo do idoso Geoacir Rodrigues França (77), que morreu após ser atropelado na Avenida dos Estudantes (MT-270), na manhã de ontem (11). O horário do sepultamento não foi definido até o fechamento da edição. Segundo informações da direção do Lar dos Idosos, local em que Geoacir morava, a família do idoso cuidou dos trâmites para liberação do corpo, que está sendo velado na Funerária Rondonópolis. Já o jovem Eduardo Oliveira de Souza (26), que pilotava a motocicleta envolvida no acidente e que também morreu, está sendo velado na União Familiar, na Avenida Bandeirantes, desde a noite de ontem. O corpo deve ser sepultado hoje também em Rondonópolis, sem local e horário definidos até o fechamento da edição.
O grave atropelamento registrado na manhã de ontem, que resultou na morte do idoso e do jovem,  deixou os moradores da cidade mais uma vez assustados com a violência no trânsito local. O acidente aconteceu por volta das 8 horas, nas proximidades do Lar dos Idosos. Geoacir atravessava a pista na faixa de pedestres, quando foi atropelado pela motocicleta pilotada por Eduardo. Com a força do impacto, o idoso morreu na hora. Já o motociclista, conforme testemunhas, morreu minutos depois, antes da chegada do socorro médico. As duas vítimas tiveram múltiplas faturas, o capacete usado por Eduardo foi lançado para o outro lado da pista, bem como seu corpo e a motocicleta foram parar a aproximadamente 20 metros do local em que a batida aconteceu.

Foto: Patrícia Cacheffo/A TRIBUNA

Foto: Patrícia Cacheffo/A TRIBUNA

Conforme funcionários do Lar dos Idosos, Geoacir era considerado uma pessoa bondosa e também muito alegre. Ele tinha o hábito de, pelo menos uma vez ao mês, ir a região Central fazer suas compras, porque gostava dessa autonomia.
Conforme o Lar dos Idosos, a unidade oferece o transporte para quando os moradores precisam sair, mas o idoso gostava de ir sozinho. Diversas testemunhas que estavam no local relataram que o motociclista estava em velocidade não compatível com a pista, mas somente a perícia técnica deve apontar as reais causas do acidente.
A faixa de pedestres que era utilizada pelo idoso estava com a tintura praticamente apagada, bem como não há nenhuma placa de sinalização indicando a existência da mesma.

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *


Compartilhe esta Notícia