PREFEITURA
Pátio teria tentado jogar vice pra “escanteio”

Zé do Pátio, por meio de sua assessoria, garante que caso seja necessário algum tipo de afastamento seu, o vice-prefeito Ubaldo Barros é quem ficará à frente da prefeitura

Zé do Pátio, por meio de sua assessoria, garante que caso seja necessário algum tipo de afastamento seu, o vice-prefeito Ubaldo Barros é quem ficará à frente da prefeitura

O principal assunto de ontem no meio político em Rondonópolis, principalmente na prefeitura e na Câmara Municipal, era de que o prefeito Zé Carlos do Pátio (SD) se licenciaria do comando da cidade por pelo menos 15 dias para tratamento de saúde em São Paulo, no entanto deixaria uma amarração jurídica impedindo o vice-prefeito Ubaldo Barros (PTB) de assumir novamente as decisões do Poder Executivo.
Segundo apurado pela reportagem, Zé do Pátio teria chamado ontem para uma reunião três dos seus secretários: a de Governo, Mara Gleibe Ribeiro; o de Finanças, Rodrigo Lopes Silveira e Leandro Arduíne, Administração para delegar a eles as funções do prefeito nos dias em que teria que se ausentar.
A informação caiu como uma bomba perante os vereadores que, por enquanto, decidiram não se manifestarem. No entanto, muitos comentaram nos bastidores que se tal manobra ocorresse seria ilegal e poderia até provocar no Legislativo a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). Além disso, ressaltaram que a figura do vice-prefeito Ubaldo Barros é legítima e numa ausência do prefeito, deverá ser respeitado como autoridade no município.
No começo deste mês, Zé do Pátio foi internado na Santa Casa com um edema pulmonar. Ubaldo Barros ficou respondendo pelo comando da cidade por dez dias. Neste período, ele assinou três caixas de empenhos para o pagamento de inúmeros fornecedores da prefeitura com meses de atraso, alugueis atrasados como o do imóvel da Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito (Setrat), que estava sem pagar há quatro meses. Pegou o município à beira do caos da falta de combustível para as ambulâncias da Secretaria Municipal de Saúde, inclusive também do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e ônibus do transporte escolar.
Além disso, quando o vice-prefeito Ubaldo estava no exercício do cargo, convocou todo o secretariado escolhido pelo prefeito para cobrar produtividade de cada secretaria, das autarquias e da Companhia de Desenvolvimento de Rondonópolis (Coder). Depois disso, fez uma acareação dos secretários com os vereadores que alegavam não estarem tendo acesso aos secretários para resolverem as demandas da população e também ao que compete a atuação da Câmara Municipal.
OUTRO LADO
Depois de toda a celeuma ocorrida durante o dia, a assessoria de comunicação da Prefeitura de Rondonópolis enviou um nota à imprensa negando a informação de que o prefeito Zé Carlos do Pátio irá se ausentar do comando da prefeitura.
O comunicado ainda informa que, caso seja necessário algum tipo de afastamento, o vice-prefeito Ubaldo Barros é quem ficará à frente do Executivo. O prefeito ainda reiterou, por meio da nota, o carinho e a amizade que tem pelo vice-prefeito e destaca sua importância na ação, uma vez que, durante os 10 dias que esteve à frente da gestão “fez um brilhante e ético trabalho mostrando o comprometimento com a população rondonopolitana”.

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *


Compartilhe esta Notícia