RODOVIAS
Excesso de velocidade foi a infração mais cometida durante feriado

Agora, os olhos da PRF se voltam para os dois próximos feriados que serão prolongados - Foto: Arquivo

Agora, os olhos da PRF se voltam para os dois próximos feriados que serão prolongados – Foto: Arquivo

Durante o feriado prolongado, dentro da Operação Semana Santa deflagrada pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), as infrações de trânsito relacionadas ao excesso de velocidade foram as mais registradas pelos policiais que atuaram de forma intensificada na região de Rondonópolis.
Conforme os dados repassados pela PRF, dos 900 autos de infração aplicados, aproximadamente 600 foram devido ao excesso de velocidade, captado pelos radares móveis em pontos estratégicos da BR-163 e 364.
A boa notícia durante a operação se deu ao fato de nenhuma morte ter sido registrada no trecho sob a responsabilidade da 2ª Delegacia de Rondonópolis, que vai de Juscimeira até a divisa com o Mato Grosso do Sul pela BR-163, e de Rondonópolis até a divisa com Goiás pela BR-364. No mesmo período do ano passado, foram registrados cinco acidentes sem óbitos, número que se manteve em 2017. Contudo, o número de feridos nesses acidentes teve uma redução de 55%.
Durante os dias de operação, foram realizadas 803 fiscalizações a veículos e 831 fiscalizações a pessoas, realizados 417 testes de etilômetros, que resultaram na prisão de seis pessoas por embriaguez ao volante. Agora, os olhos da PRF se voltam para os dois próximos feriados que serão prolongados, cuja folga faz com que o fluxo de carros de passeio aumente muito nas rodovias que cortam a região. “Todo nosso contingente será mobilizado para trabalhar de forma mais intensificada, para tentar reduzir ainda mais o número de acidentes”, disse o chefe da PRF em Rondonópolis, Audynei Rocha.

1 comentário

  1. Entre Rondonópolis e Cuiabá e vice versa existe um verdadeiro “arsenal” de “pica paus” instalados na rodovia 163/364, numa clara demonstração de ferrar os motoristas, de modo que o objetivo é arrecadar, verdadeira indústria da multa. Isso é vergonhoso, ultrajante e extremamente irritante. O bom senso foi pro espaço.

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *


Compartilhe esta Notícia