RELAÇÕES ESTREMECIDAS
Prefeitura e Câmara Municipal novamente em rota de colisão

A Câmara Municipal de Rondonópolis realizou, ontem, mais uma sessão ordinária - Foto: Assessoria

A Câmara Municipal de Rondonópolis realizou, ontem, mais uma sessão ordinária – Foto: Assessoria

A divulgação de uma notícia pelo gabinete de Comunicação da Prefeitura de Rondonópolis, informando que projetos de lei para viabilizar cerca de R$ 55 milhões em obras de saneamento básico para a cidade estão parados na Câmara Municipal de Vereadores há quase um mês, estremeceu novamente as relações entre a Casa de Leis e o Paço Municipal.
Durante a sessão ordinária de ontem (1), o presidente da Câmara, Rodrigo da Zaeli (PSDB), tratou logo de desmentir a notícia, que foi classificada como uma atitude deselegante por parte da gestão Municipal.
Conforme o Município, projetos de autoria do prefeito Zé Carlos do Pátio (SD), que buscam a recuperação de recursos de um fundo perdido do Governo Federal, estariam emperrados.
Esses recursos seriam utilizados para finalizar obras das estações elevatórias do bairro Cidade Alta e do Aeroporto Municipal Maestro Marinho Franco. Além disso, conforme a nota do Paço Municipal, projetos para o investimento de aproximadamente R$ 5 milhões em obras de saneamento básico nos bairros Buriti e Monte Líbano, cerca de R$ 30 milhões para finalizar as adutoras dos bairros Cidade Alta, Verde Teto e no Aeroporto, além de R$ 15 milhões que devem ser destinados para a ampliação do sistema de água nos bairros Alfredo de Castro, Monte Líbano, Globo Recreio, Três Poderes, Jardim Atlântico, Jardim Morumbi, Parque São Jorge, Vila Estrela Dalva, Parque Sagrada Família, entre outros, também estariam emperrados na Casa de Leis.
A Câmara Municipal classificou a informação como uma “matéria com conotação maldosa e que, em todo o momento, tenta jogar a população contra a Casa de Leis”.
O presidente do Legislativo disse que esse tipo de conduta não será aceito pelos vereadores, já que a matéria enviada para veículos de comunicação da cidade “é mentirosa”.
A Câmara explicou por meio de nota que os Projetos de Lei 027, 028, 029, 030, 031 e 032 que, em súmula, autorizam a abertura de créditos suplementares para a ampliação do sistema de esgotamento sanitário da cidade, foram protocolados na Casa de Leis no dia 13 de fevereiro e colocados em pauta no dia 22 do mesmo mês, dentro do prazo que rege o Regimento Interno da Casa, em caso de matérias enviadas na Forma Regimental.
“Se a equipe da Prefeitura quisesse prioridade nos projetos, deveria tê-los encaminhado em Regime de urgência. Ou a equipe da prefeitura está agindo de forma leviana ou estão lhes faltando informações”, diz trecho da nota.
O presidente da Comissão de Obras, Transporte, Trânsito e Serviços Públicos, Cláudio da Farmácia (PMDB), em posse dos seus direitos de legislador e representante da comissão, pediu vistas do projeto por dúvidas referentes ao mesmo e por querer mais detalhes sobre como o dinheiro será investido.

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *


Compartilhe esta Notícia