Dezoito pessoas morreram nas estradas paulistas durante o carnaval – 14h14′

Este ano 18 pessoas morreram nas rodovias paulistas durante o feriado de Carnaval, um a mais do que em 2016. Segundo o Comando do Policiamento Rodoviário de São Paulo (CPRv), apesar do aumento no número de morte, houve redução em praticamente todos os indicadores: -17,8% no número de acidentes com vítimas (este ano foram 280 ante 341 acidentes de 2016).

Com relação ao número de vítimas graves a redução foi 4%, este ano foram registradas 87 acidentados e em 2016 foram 91. Com relação às vítimas leves, a redução foi maior, de 24%. Este ano foram 345 e no mesmo período do ano anterior 454 pessoas tiveram ferimentos leves nos acidentes.

Mesmo com as reduções, a entidade não comemora. “A maioria dos acidentes poderia ter sido evitada, estando presente, infelizmente, na maioria dos casos, a imprudência dos condutores e pedestres”, informa a CPRv no balanço divulgado hoje (1º).

Em 26 mil de veículos fiscalizados, houve mais de 20 mil infrações (sem incluir as infrações aferidas por radares). Mais de 7 mil 800 condutores foram submetidos ao teste do etilômetro, e destes 1.222 foram autuados por dirigirem sob efeito de álcool ou de outras substâncias e 23 presos em flagrante pelo crime de embriaguez ao volante.

Operação “Carnaval 2017” acontece nos mais de 22 mil quilômetros da malha rodoviária do Estado de São Paulo entre os dias 24 de fevereiro e 1º de março de 2017, feita pela CPRv, órgão de execução da Polícia Militar do Estado de São Paulo, alinhado ao Movimento Paulista de Segurança no Trânsito e ao Programa de Redução de Acidentes de Trânsito e Segurança Viária 2011-2020.

O foco foi a prevenção criminal em conjunto com a segurança viária, que trabalha na manutenção da meta de reduzir em 50% as mortes no trânsito até 2020. De acordo com a CPRv foram intensificadas ações de fiscalização (cinto de segurança e demais dispositivos de retenção, motociclistas, ultrapassagens proibidas, limites de velocidade e alcoolemia), e uma ação voltada para a Educação para o Trânsito com foco nos pedestres.

Fonte: Agência Brasil

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *


Compartilhe esta Notícia