INCLUSÃO ESCOLAR
“Autismo na Escola” chega à rede pública de ensino

Alunos receberam cartilhas sobre o autismo

Alunos receberam cartilhas sobre o autismo

Celio Luciano Barbieri, Erica Rezende Barbieri e Neuzeli Fuza - na Escola CPAC - projeto Autismo na Escola - 10-03-17- 11-03-17

O Projeto de Inclusão Escolar, chamado de “Autismo na Escola”, completou um mês e chega às escolas da rede pública de ensino. O objetivo é estimular a amizade e o companheirismo entre os estudantes, promover a solidariedade e cidadania, apresentar o que é o Transtorno do Espectro Autista (TEA) e formar multiplicadores sobre o tema.
De acordo com Érica Rezende Barbieri, profissional da área de Psicologia e Psicopedagogia, que realiza o trabalho voluntário junto com o seu esposo Célio Luciano Barbieri, a iniciativa já atendeu mais mil crianças na faixa etária entre três e 15 anos.
Ela conta que tem recebido mensagens de várias partes País. “Este é um projeto social, sem custos e voluntário. E quando recebo mensagens de pessoas interessadas em desenvolver a nossa proposta, eu oriento como o trabalho deve proceder”, explicou.
Anteontem (10), entre as escolas municipais que receberam o projeto estavam o CAIC, a CPAC e a Bernardo Venâncio de Carvalho. Érica explicou que o foco é atender unidades cujas salas de aula tenham algum aluno portador de TEA matriculado. “Nessas ocasiões eu procuro contar histórias e passar vídeos sobre o autismo e os alunos interagem fazendo perguntas. E também há a distribuição de cartilhas sobre o tema”.
Segundo Érica, mães de alunos têm relatado que o comportamento de seus filhos mudou depois que passaram pelo projeto. “As crianças têm passado a enxergar o colega portador de TEA de uma forma especial. Até uma mãe me contou que seu filho lhe disse que ‘meu coleguinha autista é igual a gente. Só pensa de maneira diferente’”, revelou a psicóloga.
Em 2017, o trabalho voluntário deve alcançar todas as unidades escolares das redes particular, municipal e estadual de Rondonópolis.

6 comentários

  1. Parabéns pelo belíssimo trabalho…sou mãe de uma criança síndrome de asperged e com certeza toda empatia ajuda muito na adaptação escolar!! ♡

  2. Parabens! Fato emocionante…Isso de chama de CONSCIENTIZACAO.

  3. Parabens! Fato emocionante…Isso de chama de CONSCIENTIZACAO.

  4. Erica Rezende Barbeiri

    Obrigada. . Meu desejo é que o Projeto se multiplique por todo país.

  5. Erica Rezende Barbeiri

    Algo muito simples porém muito eficaz. Me propus a realizar esse trabalho pois tenho esperança que nossos filhos autistas bem como os familiares sejam compreendidos.

  6. muito lindo, emocionante esse trabalho.

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *


Compartilhe esta Notícia