GESTÃO HOSPITALAR
Estado reconhece obstáculos para Consórcio assumir Regional

Governo do Estado diz que tem pronto um novo modelo de serviços a serem contratados com a nova OSS junto ao Hospital Regional

Governo do Estado diz que tem pronto um novo modelo de serviços a serem contratados com a nova OSS junto ao Hospital Regional

O Governo do Estado de Mato Grosso, por meio da Secretaria de Estado de Saúde, informou ontem ao Jornal A TRIBUNA que não há tempo hábil para repassar a administração do Hospital Regional de Rondonópolis para o Consórcio Regional de Saúde.
“A Secretaria de Estado de Saúde compreende a importância do Hospital Regional de Rondonópolis para os atendimentos na região sul mato-grossense. Dessa forma, já está aberto um chamamento público para contratação de nova Organização Social de Saúde (OSS), modelo que se adéqua a situação emergencial de troca gestão. A SES esclarece que os trâmites de mudança atual de administração para o Consórcio não dependem dela, e o processo para adequação jurídica do Consórcio é demorado e, lamentavelmente, não disponibilizamos de tempo hábil”, explicou.
De acordo com o Governo do Estado, está existindo o diálogo com gestores e com a comunidade, através de seus representes, onde se tem discutido um modelo de gestão que garanta eficiência e qualidade nos serviços prestados. Inclusive, repassou que já está pronto um novo modelo de serviços a serem contratados com a nova OSS, incluindo a previsão de serem implantadas na unidade cirurgias de alta complexidade em ortopedia e neurocirurgia.
Outra conquista importante para região, segundo confirmado pelo Governo do Estado, é que as cirurgias cardiovasculares de alta complexidade serão oferecidas pelo SUS na Santa Casa de Misericórdia de Rondonópolis. O serviço já foi habilitado e está apenas aguardando a contratualização pelo Município de Rondonópolis. A SES já garantiu a publicação da portaria para complementar as cirurgias de Toractomia.
O prefeito José Carlos do Pátio já havia declarado que defende a contratação de uma nova organização social de saúde para administrar o Hospital Regional de Rondonópolis, ou mesmo o Governo do Estado retomar a gestão da unidade. “Defendo estas duas hipóteses porque acho mais seguro para que não ocorra a descontinuidade dos serviços oferecidos pelo HR. Foi cogitado repassar a gestão da unidade para o Consórcio Regional de Saúde, porém entendo que não há tempo hábil para isso”, externou o prefeito.
A Sociedade Beneficente São Camilo, organização social de saúde responsável pela gestão do Hospital Regional, decidiu romper o contrato com o Estado no final do ano passado.

4 comentários

  1. Ao que parece a burocracia está sempre à frente dos reais interesses da sociedade.

  2. Alexandre Gusmão

    A Sociedade Beneficente São Camilo rompeu o contrato porque o DesGoverno Taques atrasou em três meses os repasse para a São Camilo honrar os compromissos dela.

  3. E PORQUE NÃO TRANSFORMAR EM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO?
    PASSE A GESTÃO AO GOVERNO FEDERAL…OU SERIA MELHOR UMA OSS PARA LAVAR DINHEIRO?

  4. Rompimento de contrato devido ao Estado nao honrar os pagamentos com a OSS!
    Basta o governo do estado honrar e pagar os contratos que a OSS continuará realizando o bom trabalho e administracao exemplares na Unidade!

    Populacao precisa saber de fato oque ocorre para fazer as devidas cobranças!

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *


Compartilhe esta Notícia