Papo Político

Ministro Blairo Maggi, senadores José Medeiros e Wellington Fagundes e os deputados federais Adilton Sachetti e Carlos Bezerra: “A nossa cidade é exportadora de políticos para as esferas estadual e federal...”

Ministro Blairo Maggi, senadores José Medeiros e Wellington Fagundes e os deputados federais Adilton Sachetti e Carlos Bezerra: “A nossa cidade é exportadora de políticos para as esferas estadual e federal…”

1 – SENHORES E SENHORAS,
hoje a nossa cidade completa 63 anos de emancipação político-administrativo. Sobre política, vale enfatizar aqui que a nossa cidade é exportadora de políticos para a esfera estadual e federal. Atualmente, em destaque no Brasil temos o ministro da Agricultura Blairo Maggi (PP), os senadores José Medeiros (PSD) e Wellington Fagundes (PR), os deputados federais Adilton Sachetti (PSD) e Carlos Bezerra (PMDB). Para as eleições de 2018, quando os eleitores brasileiros irão escolher um novo presidente da República, senadores, deputados estaduais e federais, a cidade poderá novamente surgir com a exportação de vários nomes. Hoje as articulações políticas estão voltadas principalmente pelos espaços vagos para candidaturas de deputados estaduais e federais. Para a disputa a uma cadeira da Assembleia Legislativa, a eleição de José Carlos do Pátio (SD) para prefeito deixou um eleitorado vasto para ser explorado. O ex-deputado estadual J. Barreto (PR), em 2014, com sua candidatura de deputado federal, também tinha deixado um espaço vago. A eleição em 2014 de Wellington Fagundes para o Senado Federal, após seis mandatos como deputado federal, também deixou um vasto eleitorado vago para a Câmara Federal.
COM VISTAS
neste espaço aberto para candidaturas estaduais, quem vem almejando espaço aqui na cidade é o deputado estadual Max Russi (PSB), que tem sua base eleitoral em Jaciara. E o deputado vem mostrando boa articulação junto ao governo de Mato Grosso, sendo que agora irá deixar a Assembleia para assumir a Secretaria de Trabalho e Recursos Humanos no governo Pedro Taques. Quem está preocupado com esta ação de Max Russi em Rondonópolis é o deputado Nininho (PSD), que tem sua base além de Rondonópolis, pois expandiu muito para os outros municípios do Estado. Outro que está com sua ações centradas fora da cidade é o deputado Sebastião Rezende (PSC), o qual muitos politiqueiros de plantão vem apostando numa maior dificuldade para se reeleger, dada a outras lideranças políticas que vem surgindo no meio evangélico pelo Estado, mas o deputado Rezende tem expressiva votação por todos os municípios de Mato Grosso.
POR FALAR
na próxima disputa para a Assembleia Legislativa, é praticamente certo que J. Barreto volta a disputar uma cadeira de deputado estadual. E ele sempre é um dos mais votados na cidade, portanto deverá voltar a ocupar o seu espaço junto ao nosso eleitorado, ou seja, aquele espaço vazio que ele deixou para tentar, sem êxito, a Câmara Federal.

2 – A POPULAÇÃO,
em especial aqueles ligados aos meios políticos da nossa cidade, está ansiosa para chegada do dia 15 de dezembro, uma quinta-feira, data a partir da qual o prefeito eleito José Carlos do Pátio anunciou semanas atrás de que seria o momento da divulgação dos nomes que ocuparão as diversas secretarias da municipalidade. Sendo apenas especulação ou verdade, o cometário é que a ex-secretária de Saúde, do governo de Percival, Marildes Ferreira (PSD), e que foi candidata a vice-prefeita na chapa de Rogério Salles (PSDB), está cotada para a assumir a Secretaria Municipal de Finanças por indicação do deputado Nininho (PSD), que tem diálogo afinado com o prefeito eleito Zé do Pátio. A princípio o deputado teria indicado para o cargo o seu chefe de gabinete, no entanto, ele não demonstrou interesse em assumir a pasta. Como secretário Municipal de Saúde, o nome do médico Wellington Milhomem vem sendo comentadíssimo para assumir o cargo.
O DEPUTADO
Nininho vem demonstrando ser muito influente na organização do staf de Zé do Pátio e também nas articulações para o presidente da mesa diretora da Câmara Municipal para o próximo biênio 2017-2018. O deputado vem defendendo o nome do vereador de seu partido Hélio Pichioni, o qual diz não ter pretensões políticas para 2018 e politicamente poderia colocar a máquina legislativa em favor do fortalecimento do nome de Nininho na cidade.

3 – QUEM
foi cotada para assumir a Secretaria de Estado de Trabalho e Assistência Social – SETAS, no governo de Pedro Taques (PSDB) é a atual secretária Municipal de Educação Ana Carla Muniz (PPS), no entanto, a mesma teria agradecido o convite e por motivos pessoais não vai assumir a pasta. Porém, um dos filhos de Percival Muniz, o Vinícius, está ocupando cargo de muita responsabilidade no governo Taques, como subsecretário. Interessante é que o governador não vem tendo apoio da família Muniz na cidade.

4- EM BRASÍLIA,
o senador José Medeiros (PSD) já tem um eleitor na investida à presidência do Senado. Trata-se do colega Cidinho Santos (PR), que nesta semana que passou, declarou durante participação no 1º Fórum Mais Milho, em Cuiabá, que Medeiros é motivo de muito orgulho para o Estado e que seria gratificante tê-lo na cadeira de presidente do Senado. Por outro lado, Cidinho admite que as chances são mínimas de vitória do social-democrata. Medeiros terá como principal concorrente o veterano político nordestino Eunício Oliveira (CE), do PMDB, maior bancada no Senado e do partido do presidente Temer. Segundo Cidinho, a eleição à Mesa é discutida por bancada e, nesse caso, a força do PMDB prevalece. Entende que Medeiros pode até fazer parte da Mesa Diretora, mas como presidente será muito difícil.

5 – TAXADO
como menino de recados na semana que passou, foi o deputado estadual e agora secretário de Estado de Cidades (Secid), Wilson Santos (PSDB), pelo senador Wellington Fagundes (PR-MT), ao falar sobre a postura do deputado estadual na imprensa cuiabana. O senador que tem sua base em Rondonópolis, qualificou o parlamentar tucano de “menino de recados” do chefe do governador Pedro Taques (PSDB). “Eu estou sendo muito cobrado pelos meus companheiros e meus eleitores de que tenho que processar o governador e o Wilson. Não quero ter que fazer isso, sabe, pois a própria vida ensina as pessoas”, afirmou Wellington. Durante a campanha eleitoral deste ano, o então candidato a prefeito de Cuiabá, Wilson Santos, chamou Wellington de “trombadinha” numa referência ao crescimento do patrimônio do parlamentar republicano que está na vida pública há quase 30 anos. Wilson acabou sendo derrotado pelo também deputado estadual Emanuel Pinheiro (PMDB), candidato apoiado por Fagundes, após a disputa do segundo turno em Cuiabá.

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *


Compartilhe esta Notícia