Obras de infraestrutura também chamam a atenção

Nova ponte sobre o Rio Vermelho na continuação da Avenida Lions Internacional, cuja inauguração está programada para o dia 20 de dezembro - Foto: A TRIBUNA

Nova ponte sobre o Rio Vermelho na continuação da Avenida Lions Internacional, cuja inauguração está programada para o dia 20 de dezembro – Foto: A TRIBUNA

Não é só na iniciativa privada que Rondonópolis contempla grandes empreendimentos. No setor público, o município é beneficiado com dois projetos que chamam a atenção pela sua magnitude. Trata-se da construção do complexo da nova ponte sobre o Rio Vermelho e da Avenida Beira Rio, na região da Vila Goulart. Ao todo, o complexo da ponte, da nova avenida e da sua iluminação soma a quantia de mais de R$ 16,4 milhões (R$ 16.405.775,00).
A nova ponte sobre o Rio Vermelho é executada com orçamento de cerca de R$ 8,5 milhões (R$ 8.580.384,12). No caso da implantação e pavimentação da Avenida Beira Rio, com 3,3 quilômetros de extensão, são investidos mais de R$ 6,6 milhões (R$ 6.633.788,16). Além disso, há ainda um trecho de pista em construção pela Companhia de Desenvolvimento de Rondonópolis (Coder), ligando a Avenida Beira Rio com a BR-364, a partir da Avenida Poguba.
Os projetos da nova ponte na continuação da Avenida Lions Internacional e da Avenida Beira Rio, até a Avenida Poguba, têm previsão de inauguração no próximo dia 20 de dezembro. Somente na iluminação dessas obras, com lâmpadas de led branca, estão sendo colocados quase R$ 1,2 milhão (R$ 1.191.602,68).

Expectativa é que seja criado um novo eixo de crescimento no município, a partir da nova  Avenida Beira Rio - Foto: A TRIBUNA

Expectativa é que seja criado um novo eixo de crescimento no município, a partir da nova Avenida Beira Rio – Foto: A TRIBUNA

A expectativa é que seja criado um novo eixo de crescimento no município, a partir da nova ponte, da Avenida Beira Rio e do futuro Parque da Seriema, todos na mesma região e este último já com recursos em caixa para sua estruturação.
No setor público, lamenta-se, no entanto, a grande quantidade de obras públicas paradas ou morosas, que beneficiariam a população e ajudariam a movimentar a economia local (veja no primeiro caderno desta edição).

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *


Compartilhe esta Notícia