Olá pessoal! Certamente não há quem não conheça al
gumas pessoas que parecem sempre de mal com a
vida. Para elas nada está bom nem as deixa felizes. Esse tipo de postura diante da vida pode representar um quadro de mau humor, falta de educação ou arrogância, simplesmente. Essas pessoas interferem na nossa qualidade de vida criando situações insuportáveis. Vamos refletir sobre esse tema!

Fuja das pessoas mal-humoradas
Cá entre nós: tem coisa mais insuportável do que conviver com uma pessoa que está sempre de mau humor? Para ela, nada está bom: o filme é uma droga, a comida não tem graça nenhuma, o trabalho é um inferno, a festa está um saco, o barulho lá fora irrita, a chuva está molhada, enfim… coisíssima alguma parece ser capaz de agradar a uma criatura dessas. Haja paciência, não? O pior é que, além de irritar quem está em volta, essa pessoa nunca costuma achar que a culpa pode ser dela. E aí, desconta seu mau humor nos outros. Isso afasta as pessoas e, com certeza, é um passaporte para a solidão. Mas afinal, por que é que tem gente que vive constantemente com a cara fechada de mal com o mundo?
1. A primeira arma contra o mal-humorado é não se deixar contaminar. Evite passar perto dele, não puxe conversa a não serem as estritamente necessárias. O mal-humorado só precisa de um pretexto (a sua presença, por exemplo) para desfiar todas as mazelas da vida dele o quanto sofre ou é desprestigiado pelos amigos. E, diante disso, a tendência natural é você se deixar abater. Fuja dele.
2. Se não for possível fugir, apenas ouça o que o mal-humorado tem a dizer. Não argumente. Segundo Efraim, não adianta querer mostrar o lado cor-de-rosa da vida. Quanto mais você argumenta, mais ele fala, fala, fala… O mal-humorado crônico é também um teimoso crônico. Tudo o que ele quer é convencer você de que está certo. Quanto mais você argumenta, mais ele vai ter histórias tristes para contar. Portanto, deixe-o falar.
3. O mau humor crônico é classificado como distúrbio de humor. Os mal-humorados são cronicamente pessimistas. Parece que eles têm como esporte preferido atazanar, aporrinhar os outros. Essas pessoas sofrem de disfunções dos neurotransmissores, aquelas coisinhas no cérebro que ditam o nosso humor. Essas pessoas sofrem, são infelizes. Vivem a desgraça duplamente: antes e durante o fato.
4. Os mal-humorados serão sempre mal-humorados. Eles vão arquivando mágoas ou, como diria Gabriel García Márquez, pastoreando rancores. Não será você, sozinho, que vai mudá-los. Eles não estão dispostos a mudar.
5. Como identificar um mal-humorado crônico? Não adianta perguntar a ele. Pessimista? Eu? Nunca! , será a resposta. Os mal-humorados se consideram realistas. Na configuração mental deles, os outros é que não sabem avaliar corretamente os riscos.
6. Além de manter distância dos mal-humorados, é também preciso tomar cuidado com eles. Para provar que nada dá certo, inconscientemente eles trabalham para que tudo dê errado. Assim, no final, poderão dizer: Tá vendo, eu não falei?!
7. Recomendação final: ou você manda o mal-humorado para tratamento psiquiátrico, ou foge dele. Caso contrário, a tendência é você ser puxado junto para o buraco.
Afinal, não é fácil conviver com gente que só vê o lado feio e perigoso das coisas. Pensem nisso!

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *


Compartilhe esta Notícia