INDIGNAÇÃO
Acidente na BR-364 causou transtornos

Rodovia BR-364 totalmente interditada entre Rondonópolis a Cuiabá

Rodovia BR-364 totalmente interditada entre Rondonópolis a Cuiabá

A ocorrência de mais esse acidente no dia de ontem (05/02) na BR-364/163 trouxe enormes prejuízos à população mato-grosssense, com a interdição do principal corredor rodoviário de Mato Grosso, um dos principais corredores da produção nacional e importante ligação rodoviária do Norte com o Sul do Brasil. Esse acidente é mais uma evidência do absurdo logístico de se ter uma única ligação rodoviária entre Rondonópolis e Cuiabá e, para piorar, ainda em pista simples. Qualquer acidente mais grave ocasiona prejuízos incalculáveis.

Durante a interdição, a rota alternativa é seguir até Primavera do Leste, Campo Verde e depois seguir à capital por Chapada dos Guimarães ou retornar à BR-364 – o que aumenta bastante o trajeto. A situação, mais uma vez, gerou revolta e muitos transtornos aos usuários da rodovia. Essa realidade reforça a urgente necessidade de maior celeridade nas obras de duplicação da BR-364 entre Rondonópolis e Cuiabá e da conclusão da rodovia estadual alternativa entre essas duas cidades: a MT-040, passando pelo Pantanal.

De novo a sociedade mato-grossense paga caro por causa de uma rodovia que enfrenta décadas de atraso. Ademais, não é de hoje que o Jornal A TRIBUNA alerta, assim como a sociedade pode constatar, que o trecho da “Farinha de Osso” vem sendo sucessivamente palco de tragédias com mortes e mais mortes, sem nenhuma providência emergencial. Já foram tantas tragédias nesse trecho que não se pode mais falar em coincidência, mas em negligência e omissão do poder público.

Só resta o grito de indignação e de cobrança por mais celeridade na conclusão da duplicação desse trecho. É a última esperança da sociedade local.

1 comentário

  1. José Donizete Peixinho

    Na luta para que as autoridades acordem sobre esse grave problema, fiz um vídeo mostrando o caos na BR 364. Veja e compartilhe: http://www.youtube.com/watch?v=Tsnszmn79Vs

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *


Compartilhe esta Notícia