Trânsito se complica em entrada da cidade

O problema no trânsito na Avenida Dom Wunibaldo se agrava nos horários de volta do trabalho, depois das 11h e depois das 17h

–> LIBERADO –> O expressivo crescimento da frota de veículos em Rondonópolis, ao longo da última década, vem resultando em novos problemas a serem superados no trânsito. Entre 2000 e 2012 a frota de veículos na cidade saltou de 38.400 para 121.579 unidades, segundo dados da Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito. Nesse período, no entanto, a malha viária local, praticamente, permaneceu estagnada. Um dos reflexos dessa nova realidade pode ser constatado em uma das principais entradas da cidade, através da Avenida Dom Wunibaldo e, na sequência, na Rua Fernando Correa da Costa, na Vila Aurora. Nos horários de pico, chama a atenção a lentidão e o estrangulamento no trânsito nessa região diante do grande volume de veículos.
Além do aumento da frota de veículos, a via de entrada para a cidade através da ponte da Avenida Marechal Rondon sobre o Rio Vermelho ficou mais concorrida com o crescimento industrial e empresarial nas BRs 163 e 364 rumo a Campo Grande (MS) e Pedra Preta. Na área urbana, por outro lado, entre os principais destinos de moradias no município, a região de Rondonópolis que mais vem crescendo é o da grande região do Sagrada Família, com dezenas de novos residenciais. Esse novo desenho do crescimento local e a falta de vias alternativas tornam obrigatório o mesmo caminho para muitos rondonopolitanos do trabalho para casa, passando pela Avenida Dom Wunibaldo e na Rua Fernando Correa da Costa.
O problema vem sendo causado justamente pela falta de opções de acesso entre as novas regiões empresariais e residenciais de Rondonópolis. Para piorar, a instalação de um grande supermercado na Rua Fernando Correa da Costa, na Vila Aurora, ajudou a complicar o trânsito nessa região da cidade. Todos os dias, para quem passa por essa região da cidade, o tumulto tem se tornado rotina. O problema se agrava nos horários de volta do trabalho, depois das 11h e depois das 17h, isso porque o sentido Dom Wunibaldo é único para quem vem da ponte sobre o Rio Vermelho. Há relato de motorista que tem demorado até 20 minutos para fazer esse trajeto entre o Cais, após a ponte no Rio Vermelho, e o Centro. A paciência continua sendo a única saída para quem precisa fazer o trajeto.
Veja, a seguir, algumas propostas que poderiam estar amenizando ou resolvendo o problema de trânsito nessa região da cidade.

Avenida Beira Rio seria nova opção de tráfego

Avenida Beira Rio margearia o Rio Vermelho com direção à MT-270

Criar uma nova via de trânsito entre a ponte da Avenida Marechal Rondon sobre o Rio Vermelho e a região da MT-270 já vem sendo planejada em Rondonópolis desde a gestão do prefeito Adilton Sachetti (2005/2008). Na época foi gestada a ideia da construção da Avenida Beira Rio, ligando a Rua Poxoréo, margeando o Rio Vermelho e chegando até a rotatória da Avenida Lions Internacional. Apesar do projeto estar pronto, até hoje não começou a sair do papel.
O assessor técnico afastado do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Rondonópolis (IPPUR), João César Domingos da Silva, explica que faltam recursos para a implantação da Avenida Beira Rio. Os cálculos são de que serão necessários cerca de R$ 6 milhões para a construção da nova avenida e mais R$ 3 milhões para a construção da ponte sobre o ribeirão Arareau, integrada ao projeto.
Conforme João César, o projeto prevê uma avenida com pista dupla, canteiro central, sinalização, rotatória e calçadas. Ele informa que a Prefeitura pretende pleitear agora os recursos necessários para o projeto da Avenida Beira Rio junto à 2ª etapa do Programa de Aceleração do Crescimento 2 (PAC 2), cujo cadastramento está aberto até 31 de julho deste ano. Em seguida, seria preciso a inclusão/autorização desse projeto pelo governo federal. “Mais cedo ou mais tarde essa avenida vai sair”, acredita.

1 comentário

  1. francisco pires

    Se colocarem seriedade e afastar a politicagem na SETRAT, tudo indica que o trânsito de Roo-MT facilmente será resolvido. Os técnicos têm por obrigação mostrar ao prefeito as alternativas, me parece que não aconteceu na Av. Goiânia. Temos o inicio da ponte na 13 de Maio, que será a solução para vários problemas. Agora se ficarmos dependendo de reuniões com a comunidade e outras cositas mais nada sairá do papel. Temos de colocar mão na massa e procurar resolver o quanto antes o trânsito. Os acidentes estão de vento em popa e a eleição está batendo na porta. Abra o olho antes de ser tarde. Façam a coisa simples mas com objetividade.

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *


Compartilhe esta Notícia