Campus de Rondonópolis da UFMT já trabalha projeto para medicina

Pró-reitora do campus da UFMT de Rondonópolis, professora Cecília Kamei Fukiko Kimura: estamos trabalhando para trazer novos cursos para a cidade

–> LIBERADO –> “Foi com muito entusiasmo e grande alegria que recebemos a notícia da criação do curso de medicina”, informou a pró-reitora do campus da UFMT de Rondonópolis, professora Cecília Kamei Fukiko Kimura. Conforme antecipado ontem pelo Jornal A TRIBUNA, o ministro da Educação, Aloísio Mercadante, anunciou a criação de 2.415 novas vagas de medicina no Brasil até 2013, sendo 40 delas em Rondonópolis. Uma comissão no campus já vem trabalhando em cima do projeto político-pedagógico necessário para implantação do curso de medicina.
Conforme Cecília Kimura, a comunidade acadêmica de Rondonópolis tinha uma antiga expectativa de contar com um curso de medicina. Através da reitora Maria Lúcia Cavalli, explica que, no começo de abril deste ano, o pedido final foi feito ao Ministério da Educação. Nesse sentido, reforça que a reitora fez todos os esforços possíveis para implantação do curso no nosso município. “Esse curso teve um empenho e é um mérito muito grande da reitora Maria Lúcia”, observa. Também destaca que o apoio da classe política foi fundamental para essa conquista.
Cecília Kimura observa que o curso de medicina realmente traz grandes impactos para o município e a região. Inclusive, analisou que o anúncio do curso veio até de forma inesperada, já que os trâmites burocráticos foram muito recentes no caso de Rondonópolis. Quanto aos recursos humanos e estrutura física necessários, a pró-reitora externa que o projeto de expansão já prevê a estrutura mínima necessária para o funcionamento dos cursos no País. Além disso, anunciou que o campus continua a trabalhar para trazer novos cursos para a cidade.
A professora Camila Lucchese Veronesi, do curso de Enfermagem, faz parte da comissão pela implantação dos cursos de Medicina e Farmácia no campus. Ela confirma que o campus já está trabalhando há cerca de três meses na confecção de um projeto político-pedagógico para o curso de medicina em Rondonópolis. Esse projeto é baseado no curso de medicina do campus de Cuiabá, e, conforme a professora, inclui a estrutura curricular e a estrutura física necessária.
Camila Lucchese salientou que agora é fundamental aguardar a publicação oficial da portaria autorizando a implantação do curso de medicina em Rondonópolis, para haver um trabalho mais concreto em termos das próximas providências locais. Ela explica que a proposta, mais ampla, é criar no campus um Instituto de Ciências da Saúde, que englobaria os cursos de Enfermagem (já existente) e Medicina. Além disso, fortaleceria a pretensão de criação de novos cursos na área da saúde, como Farmácia e outros que a demanda local indicasse.
Inicialmente, Camila analisa que seriam necessários para o curso de medicina o corpo docente, a adequação de alguns laboratórios, como o de anatomia, e a articulação com os serviços locais de saúde, através de hospitais conveniados, para estágios e aulas práticas. Nisso, explica que não há necessidade, inicialmente, de construir um Hospital Universitário. Nesse momento, a própria rede de saúde instalada em Rondonópolis poderia atender a estrutura física necessária do curso. “Acredito que a vinda desse curso vai ser muito positiva”, externou.

3 comentários

  1. francisco pires

    Todos estão confiantes com o curso de medicina, porem devemos ficar atentos e exigir de nossos politicos muita rapidez, caso contrario do jeito que anda o governo federal pode ficar como a tavessia urbana das BR 163/364.Aos pro reitores e vereadores muita atenção, apertem o cinto.

  2. Steffany J M Rodrigues

    Gostaria de saber ao certo se o curso já estará disponível em Rondonópolis em 2013

  3. Gostaria que o curso já tivesse disponível em 2013, e gostaria tambem de fazer parte de uma das turmas. Se Deus quiser. o/

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *


Compartilhe esta Notícia