Regras para exportação de animais vivos

A participação de Mato Grosso na exportação de animais vivos destinados ao abate ainda é pequena

A participação de Mato Grosso na exportação de animais vivos destinados ao abate ainda é pequena

O regulamento técnico com as regras para exportação de bovinos, búfalos, ovinos e caprinos vivos destinados ao abate foi aprovado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), na quarta-feira (31). O secretário de Defesa Agropecuária do Mapa, Inácio Kroetz, afirma que a aprovação da medida corresponde à necessidade do mercado. No entanto, ressalta que a participação de Mato Grosso na exportação de animais vivos destinados ao abate ainda é pequena, se comparado ao Rio Grande do Sul, por exemplo. Ele argumenta que a falta de infraestrutura é o principal empecilho para a expansão desse tipo de comercialização no Estado. Kroetz afirma que a publicação da Instrução Normativa Nº 13 foi necessária para promover o reajuste no mercado. As regras incluem a seleção nas propriedades de origem, o transporte até os Estabelecimentos de Pré-embarque (EPE) e o local de saída do país, além do manejo nas instalações de pré-embarque e no embarque. De acordo com o secretário, Líbano e Venezuela são os principais destinos.
INDEPENDÊNCIA
Os 494 pecuaristas de Mato Grosso credores do frigorífico Independência receberam os R$ 50 milhões que o grupo devia no Estado. O pagamento consta no plano de Recuperação Judicial da empresa e deve R$ 194 milhões para 1,524 mil pecuaristas também de outros estados. Para o superintendente da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), Luciano Vacari, o cumprimento do acordo leva a crer que toda a dívida será paga. O pagamento a cada credor chega R$ 100 mil. O restante quitado em 24 parcelas.

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *


Compartilhe esta Notícia